Vocês não estão trabalhando sozinhos… (Reunião 72)

Participantes: Alicia, Fernanda, Juliano e Priscila
Data:
8 de julho de 2019

COMUNICAÇÕES

Star Language

Priscila: Falta algo para o evento, tem algo fora do radar, ou estamos cobrindo tudo que precisa?

Egrégora: Lembrem do estado mental.

Juliano: É hora de orar. O esforço da equipe, as falhas serão superadas, os acertos reconhecidos.

Egrégora: Sintonia é maior que tudo.

Alicia: Tenho uma preocupação com os exercícios de espiritualidade.

Egrégora: Ansiedade não resolve nada.


Treinamento Fernanda na prancheta

Olivia: Oi. Oli.

Fernanda: Lembrar de perguntar sobre a produção do filme Salt Koff.

Juliano: Vamos concentrar, a Olivia está tentando fazer aproximação.

Olivia: Oli.

Juliano: Sinto um aperto muito forte na garganta.

Fernanda: É a Olívia que está tentando falar?

Olivia: Sim.

Fernanda: Precisa fazer algo para o Juliano?

Olivia: Talvez.

Alicia se aproxima de Juliano para mandar energia.

Olivia (psicofonia Juliano): Já me sinto em casa. Essa é uma oportunidade nova, e eu estou muito feliz e animada por poder conversar com vocês usando o aparelho físico e vocal do neto que eu mais amei em todas as minhas vidas, e de quem não consigo me afastar, pela colaboração e amor que eu tenho nos ideais que nós dividimos.

Na verdade, nós todos estivemos já, no momento em que vivemos na Grécia. Estudamos e falamos tanto, e conversamos tanto. Brincávamos até de escola Socrática juntos, a sabedoria sempre foi a nossa paixão. O conhecimento sempre foi uma tocha a iluminar a grande caverna da existência de todos nós. E hoje eu estou completamente feliz, porque posso fazer as palavras emergirem simultaneamente pelas cordas vocálicas do Juliano e também de seu plano mental de maneira que ele possa ler as nossas conversinhas.

E eu quero tentar experimentar, a despeito da inexperiência dele nesse assunto, e nós possamos conversar, então vamos utilizar como sempre a prancheta, a minha prancha agora só está mais gordinha.

Fernanda: podemos fazer perguntas?

Olivia (psicofonia Juliano): Podem fazer.

Alicia: Podemos passar alguma mensagem para as pessoas durante o evento, que a gente possa dar impresso, ou ler durante o evento?

Olivia (psicofonia Juliano): A mensagem é uma só: O novo tempo chegou. E todas as escolas de saber do plano astral têm trabalhado com grande esforço para afunilar na realidade tridimensional o maior conteúdo possível para descortinar os próximos passos do surgimento do novo mundo.

Uma das coisas mais importantes que vão começar a acontecer a partir de agora, é que vocês terão uma clareza mental capaz de identificar os pontos de conexão entre os conhecimentos já espalhados pela humanidade. A boa e velha comparação dos fragmentos de espelhos que se somam e melhor refletem a imagem que está no céu vai começar de fato a ser realidade. E a aceleração que o nosso mestre Chico nos anteviu, essa aceleração se dará pela possibilidade de conexão dos conhecimentos e é por isso que vocês precisam entender a função do Círculo como escola iniciática, como movimento filosófico, livre e espiritualizado, porque a sua liberdade está em recolher os fragmentos, onde quer que eles estejam. E a assimilação e a integração desses saberes muitos já espalhados no meio da humanidade vão fazer com que vocês possam adiantar dia a dia a ascensão deste planeta.

Nós estamos aqui do nosso lado eufóricos e muito animados, porque nós já podemos perceber e manipular as energias do tempo de transição, para que esses conhecimentos ganhem lucidez no plano mental da humanidade.

Vocês estão muito mudas pro meu gosto. Nem parece uma reunião de meninas. Vocês não estão me aguentando, na verdade. E olha que eu já sou uma senhora, hein. Acho que os hormônios espirituais são mais fortes.

Priscila: Pensando sobre a confluência de acontecimentos da egrégora Hultman presente em nossas vidas. E eu sei da minha ansiedade com relação a isso. Gostaria de saber como tudo isso se complementa.

Olivia (psicofonia Juliano): Os elementos que precisam ser combinados para que esse projeto se desenrole estão todos alinhados e sobre a bancada, por assim dizer. Nós começamos a frigir os primeiros ovos, como diz o Juliano. Mais do que nunca agora a constância e o movimento são importantes para que a gente compreenda se essa massa vai ser heterogênea o suficiente pra ficar claro que não precisa ou que não deve se seguir em frente. Ou se ela se tornará homogênea o suficiente para receber o calor do plano espiritual e crescer como um grande bolo.

A despeito disso, há uma linhagem de egrégora que combinam não só a família Hultman com a família Andretta, e é muito curioso perceber isso. Em verdade, devo me corrigir porque vocês já foram peregrinas nos orientes da vida. Daí talvez esse sangue árabe que corre pela veia de vocês.

Mas vocês precisam compreender que nós estamos reunindo pessoas, que são grandes pensadores, que serão as novas âncoras do Círculo. Não pode tudo repousar sobre os ombros do meu neto. Ele é o primeiro símbolo, o primeiro sinal, o primeiro estandarte que se levanta, mas devem se reunir outras pessoas até muito mais capacitadas do que ele, e que farão desse projeto uma verdadeira vitrine da nova era.

A era de Aquário tem várias faces, vários estilos, várias formas e várias cores. E nós estamos trazendo a Kátia, óbvio, isso é elementar, meu Deus do céu, vocês como mulheres podiam ser mais espertas. E mais rápidas também. É óbvio que estamos trazendo ela, é óbvio que iremos iniciá-la no momento correto.

Mas em tudo há respeito. Da mesma forma como nós respeitamos vocês, como nós respeitamos a forma como vocês conduziram essa reunião até agora. A forma como nós ficamos surfando nesse skate de roda até que vocês pudessem compreender que a psicofonia seria um jeito muito mais prático de nós conversarmos.

Então, tenha paciência. Segure suas aflições na meditação da ciência da paz. A “paz-ciência”. E saiba que tudo e todos estamos contidos firmemente na mente daquele que chamamos de pai.

Eu não posso dar garantias, porque no meu plano, no nível que eu, Francisquinho, Otto, Olímpia e todos nós atuamos, nós temos uma certa dificuldade de enxergar passos muito longos e talvez esse projeto aconteça por 2021, 2022. Mas as tratativas devem continuar porque isto lhes dará oportunidade de se aproximar. Aproximar as filosofias, aproximar as verdades. Verdades se conversam, porque são portas para a mesma sala.

Fernanda: Daqui para frente as reuniões serão de psicofonia?

Olivia (psicofonia Juliano): Graças ao Sr. Racional aqui, nós ainda precisaremos utilizar a título de confirmação, pois é muito importante que vocês tenham a tranquilidade e clareza para perceber os sinais que se avolumam. Mas já há um histórico de assinaturas energéticas suficiente para que toda dúvida seja eliminada, e sem isso nós ainda teremos muito tempo perdido em diálogos que precisam ser mais volumosos em termos de conteúdo, e mais efetivos em termos de direcionamento, pois que as reuniões de fenômenos físicos exigirão uma interação direta, bem como uma nova organização, mas isso serão coisas que nós discutiremos ao longo do tempo na nova sede e na sala experimental.

O que temos planejado agora é, pouco a pouco abrir a reunião com a prancheta, saudar-vos, fazer algumas graças para que na alegria vocês possam expelir as energias necessárias para que nós recolhamos e criemos o ambiente. E esse eixo unindo os dois médiuns, já de alguma forma escolarizados na psicofonia, poderá ser utilizado, assim como também vocês não podem se recusar ou ignorar o fato de que o uso dos mantras espontâneos os coloca num estado elevado de conexão conosco, o que permite um excelsa concentração para canalização das mensagens. E isso permite esse diálogo gostoso entre as ladies do nosso grupo.

Alicia: o que sugere para as reuniões? Nós montamos uma pauta com perguntas?

Olivia (psicofonia Juliano): Vocês trarão coisas anotadas e outras emergirão no coração. Mas a experiência mostra que, quando vocês estão diante de nós, é impressionante, vocês se idiotizam. É muito proveitoso, contanto que pra continuamos a exercitar a racionalidade e a crítica da escola kardequiana, que vocês não apresentem a pauta para o médium eleito da noite, assim nós temos de certa forma uma confirmação pela espontaneidade, pelo volume, pela velocidade das informações que nós transmitimos a confirmação que tanto agrada.

É importante que vocês compreendam que a todo momento nós estamos conversando com vocês, a todo momento as nossa equipes estão inserindo ideias como slides na sequência de uma apresentação. Então, à medida que vocês vão desenvolvendo os pensamentos, nós inserimos slides e ajudamos a construir o plano racional dos argumentos, das ideias e das concepções que vocês vão percebendo emergir no seu plano consciente. A importância de nós, nesse primeiro momento, mantermos as perguntas isoladas e em segredo, para que ao emergirem as respostas na reunião não reste dúvidas de que somos nós que estamos fazendo fluir as comunicações.

Assim também como, obviamente, muitas vezes, nós começamos a conversar com vocês e começamos a desenvolver a estrutura racional das ideias enquanto vocês estão trabalhando, porque vocês não estão trabalhando sozinhos, nós estamos trabalhando com vocês, a sala de operações espirituais que existe neste escritório é muito maior do que simples 4 cadeiras, se nós fossemos ocupar em corpos físicos, precisaria fazer um novo pedido na lojinha das salas das mesas de plástico, porque nós ocuparíamos todo esse andar, e todos o andares desse prédio. Então é importante vocês compreenderem que, para se fazer uma figura de linguagem, nós estamos caminhando nesta sala, nós estamos caminhando no quartinho da Alicia, nós estamos caminhando no escritório da Fernanda, durante todo o dia e toda a noite discutindo as possibilidades, inserindo novos slides, inserindo novos pontos, os novos itens, dos processos, das coisas que estão pra acontecer. Nós estamos trabalhando o tempo todo como uma grande redação.

Priscila: E sobre o toque do tambor?

Olívia (psicofonia Juliano): Ah, o Francisco Martins gosta de bancar o pajé. Às vezes, é ele batucando.

Alicia: Tive uma noite de ter estado em um novo estado de consciência, e tinha uma galera em casa, gente que eu não reconhecia.

Olívia (psicofonia Juliano): Nós estamos, minha flor, tentando pavimentar dentro de você o caminho do perdão, porque é o exercício do amor fará de você a mulher que você é chamada a ser. Não a mulher que a sociedade espera que você seja, não a mulher que esses obsessores ignorantes ainda acreditam que podem te transformar. Nós estamos pavimentando o caminho para que surja, para que assuma em cada átomo de você, a mulher que você é chamada a ser. E essa mulher será tão grandiosa, que a sua sombra não será como a do apóstolo que curava os doentes. Mas a sua sombra abrigará uma legião de mulheres chamadas a desempenhar o seu protagonismo social na transformação do nosso mundo.

Vocês sabem que nós somos realmente poderosas, nós somos mesmo poderosas, esses fanfarrões esculpem estátuas de mármores e bronze e elegem grandes templos em homenagem à sua imbecilidade masculina, mas na verdade vocês sabem que todas nós somos a grande força motriz, o grande ventre que afunila e materializa nessa dimensão, as belezas do mundo espiritual, e fique sintonizada porque a festinha na sua casa vai continuar.

Até que sou bem humorada para uma senhora de alguns milhares de anos né. Faz algum tempo que eu não vivo uma encarnação na Terra, a última vez foi em Florença, naquelas ruelas tão gostosinhas, apertadas, mas eram muito fétidas na época. Nós participamos de uma escola iniciática e estudamos todos juntos o Caibalion. Nós até discutimos se poderíamos fazer uma cópia, mas na época não havia as máquinas de fotocópias como hoje. Nós teríamos que copiar e nunca demos conta, por isso nosso coração sempre guardava os refrões tão elevados do hermetismo, e sobre eles conversávamos nos parques mais altos das colinas de Florença olhando o Domo e meditando sobre a grande sabedoria universal que se afunilava nas mentes humanas naquela época. Mas não éramos tão bem-vindas nas escolas iniciáticas e sempre estávamos na surdina.

Priscila: Todas nós estávamos com Olivia nesses tempos?

Olívia (psicofonia Juliano): Estávamos todas lá e era uma verdadeira festa.

Priscila: E o Juliano também?

Olívia (psicofonia Juliano): Sim, ele era um pirralho.

Fernanda: Nós éramos amigas?

Olívia (psicofonia Juliano): Nós sempre fomos boas comadres, porque pertencemos à mesma família na Grécia antiga, e essa família espiritual tem reencarnado e tem cruzado com a família de grandes mestres como Uchôa, Chico. Ahhhh, foram tantas e tantas vidas.

Eu saltei algumas vezes da Grécia para Florença e, desde então, não voltei mais. Mas guardo com meu coração ainda no plano astral a forma física que eu tinha na Grécia, pois é a forma como me identifico, foi lá que nasceram os nossos laços espirituais, lá nós nos tornamos uma verdadeira família. E a partir daquelas vivências nós pudemos reconhecermos em Florença, depois posteriormente, um pouco antes da codificação do nosso saudoso Kardec, vocês ainda se reuniam na Europa, na França, para estudar as artes iniciáticas, ainda tolhidos nos seus objetivos existenciais. Mas alguma forma, alguma coisa, alguma voz ainda falava dentro de vocês apontando que aquele era o caminho que deveria ser  seguido.

Então, embora o senso de proibição e clandestinidade lhes excitasse as veias, no fundo vocês reconheciam a alta filosofia que nós discutíamos à sombra do Pantheon na Grécia. Agora, meninas, vou ter que desocupá-lo porque ele está entrando em parafuso.

Fernanda: Tem alguma recomendação para a próxima reunião em termos de preparo?

Olívia (psicofonia Juliano): Parece-me que hoje foi adequado, os passes iniciáticos e os cantos espontâneos. Vocês não têm ideia da erupção energética que os mantras espontâneos geram no ambiente que vocês estão. São sempre muito úteis. E serão uma marca do Círculo porque, imaginem, se a Alicia fica impressionada com o parthenon de cores que preenchem o logotipo do Círculo, se ela imaginasse o que emerge da alma e da psique de todos os encarnados quando se põem a cantar os mantras espontâneos… E, não raras as vezes, imediatamente os elementais correm como se o sorveteiro tivesse chegado. Eles vibram, eles cantam, eles trazem os seus instrumentos feitos de plantas e estruturas orgânicas do plano mental que é tão difícil descrever, mas que geram canções, canções que tentam acompanhar os mantras espontâneos. Tudo isso nos dá uma condição energética de falar com mais precisão, lembrando sempre, flores, que a alegria é a nossa força. No dia em que nós nos tornarmos, aliás, se um dia nos tornarmos carrancudos, tenham certeza de que o projeto já se mudou para outro lugar. O sorriso será sempre a nossa marca, sempre.

Priscila: Obrigada Olivia, foi um prazer falar com você.

Olívia (psicofonia Juliano): O prazer foi todo meu, flores, fiquem em paz e preparem-se porque essa dinâmica deve começar a preencher a reunião para que nós sejamos mais efetivos. Mas como somos pontuais, terminamos agora com a música.

Artigos relacionados

Respostas