A Chegada do outono na Roda do Ano

No próximo dia 20 de março, aqui no hemisfério Sul, iremos passar por mais uma transição, chegamos no Equinócio de outono e, na Bruxaria, comemora-se o Sabbat de Mabon!

Este é o período em que terminamos de colher tudo o que plantamos anteriormente, passamos pela primeira colheita em Lughnasadh e agora temos nossa segunda e última chance na roda do ano. Lembrando que a vida não é linear e a roda gira sempre e sempre! Os dias e as noites voltam a ser iguais.

Na mitologia, o Deus ancião, Senhor das sombras, prepara-se para sua morte física e seu renascimento através da Deusa mãe.

Esta é a época em que a natureza perde um pouco da sua vitalidade e exuberância que iniciou na primavera e entrou em seu ápice no verão, não deixando de ser mais bela por isso, apenas diferente. As folhas verdes dão lugar às folhas secas, as árvores ficam com menos folhas, resguardando-se para o frio a seguir. É o momento da retração, do início do recolher, é o momento para planejar o período de sombra, descanso e introspecção que o inverno trará.

Para harmonizar-se com o período que nossa mãe Gaia está, agradeça pelas colheitas em sua vida, seus pensamentos, atitudes, realizações em todos os sentidos. Não existem colheitas boas e ruins, apenas colheitas. Muitas vezes o fruto que germina não era exatamente o que esperávamos, mas se olharmos por outro ângulo nesta jornada, sempre pode-se tirar um novo ensinamento para passar pela próxima etapa com melhores ferramentas.

Agora é o momento do planejamento para o futuro!

Comece a separar o que você não deseja mais em seus caminhos, iniciando por atitudes e pensamentos, guarde o que for necessário para seu recolhimento no inverno. Se possuir um altar, decore-o com folhas secas, espigas de milho, porções de grãos e maçãs! As cores para esse período são: marrom, laranja, amarelo e vinho, podendo usá-las em decorações domésticas, roupas, velas…

Faça o exercício de observar a natureza, ter mais contato com ela, seja em um jardim, um parque, sua rua ou locais de verde mais abundante. As estações estão realmente mais difíceis de perceber, mas faça o exercício de observar cada detalhe dessa transição, treine seus olhos, sua mente e seu coração para sentir.

Abençoados sejam,
Bruxilds Juliana Rissardi

Artigos relacionados

Respostas