A identidade cósmica de Jesus

“Em verdade, todos nós descobrimos, dia a dia, que ainda sabemos muito pouco sobre a natureza sideral de Jesus, e, possivelmente, só depois de alguns milênios poderemos conhecê-la em sua plenitude.” (RAMATÍS. O Sublime Peregrino. Obra psicografada por Hercílio Maes. São Paulo: Ed. Conhecimento, 2020, pág. 11-15.)

Quem foi Jesus antes de ser Jesus? Na frase acima, de Ramatis, temos uma pequena noção de que ainda levaremos muito tempo para entender quem foi esse ser que marcou tão fortemente a história do planeta Terra.

Um bom começo talvez seja por saber quem nós somos. E aqui vamos falar do ponto de vista espiritualista de nossa origem cósmica universal, recorrendo a Hermes Trismegisto, conhecido como legislador e filósofo egípcio, e a obra O Caibalion, que seria a compilação de seus ensinamentos.

“O que está em cima é como o que está embaixo; o que está embaixo é como o que está em cima.” O Caibalion

O que essa lei hermética – o princípio de correspondência – nos ensina é que existe uma relação entre os planos físico, mental e espiritual, que eles coexistem e que esses planos da vida estão conectados. Vamos olhar para a escala de plano evolutivos segundo O Caibalion:

7 – Plano da Energia C – “Força Divina”
6 – Plano da Energia B – As forças mais sutis da Natureza / Fenômenos Mentais
5 – Plano da Energia A – Eletricidade, Calor, Atração (incluindo Gravitação), Magnetismo, Luz, Coesão, Afinidade Química
4 – Plano da Substância Etérea – Éter, participa da natureza de ambas, penetra todo o universo, Elo entre matéria e energia
3 – Plano da Matéria C – Matéria Sutil – Estados ainda não suspeitados pela ciência atual
2- Plano da Matéria B – Estados Sutis, Matéria Radiante (Radium)
1 – Plano da Matéria A – Sólidos, Líquidos e Gasosos

Um planeta também tem um plano físico, mental e espiritual. Isso porque ele é o palco onde um grupo de espíritos trilha os caminhos de evolução. Quando a gente pensa em seres como Yeshua, são seres que vêm para ajudar a construir e dirigir projetos planetários.

Se as humanidades são semeadas nos planetas para que cumpram sua evolução, e quando a maioria atinge determinado patamar o próprio planeta se eleva na hierarquia dos mundos, é meio lógico que quem estiver destoando desse novo padrão vibratório não consiga acompanhar. Então, ele é direcionado a um planeta mais alinhado à sua vibração. Não é questão de ir para o inferno ou castigo (como dizem algumas religiões), não é melhor, nem pior, é apenas alinhado ao seu status vibracional e de acordo com a lei universal da evolução. Nunca há uma condenação eterna, tudo é feito para a sua evolução, porque Deus é amor.

Planetas são palcos evolutivos

Conforme podemos ver na escala dos mundos acima, utilizada por Allan Kardec, a atual humanidade terrestre está fazendo a transição do mundo de provas e expiações para o mundo de regeneração. Mas a evolução é uma construção no tempo.

Por isso ocorre o que Ramatis chama de a transmigração das almas. Se em um planeta a maioria atinge uma vibração de regeneração, por exemplo, e assim o planeta amplia seu status, aqueles que seguem na vibração de provas e expiações são direcionados para outro planeta. Assim como, se um espírito atinge uma grande evolução num planeta de provas e expiações ao ponto de ter condições de estar num planeta feliz, ele será enviado para lá.

Temos ainda a questão dos espíritos missionários, que apesar de possuírem evolução para não mais precisar reencarnar em planetas de provas e expiações, aceitam a missão de voltar num mundo como o nosso em uma encarnação de serviço.

“Jesus também foi imaturo de espírito e fez o mesmo curso espiritual evolutivo através de mundos planetários, já desintegrados no Cosmo.” Ramatis

Ou seja, Jesus também passou por tudo que passamos. Por isso, quando transformamos Jesus num Deus inalcançável, perdemos nele o exemplo. Mas quando recobro a consciência de que ele foi um espírito, como eu, e foi capaz de servir humanidades inteiras, entendemos a grandeza desse ser. Não como um Deus pronto que veio fazer um favor para a humanidade, mas como uma inteligência que fez todas as lições evolutivas e voltou aqui, por escolha própria, para contribuir com a evolução do outro.

E assim começamos a entender que Jesus tem poder porque ele contribuiu para a evolução de toda a nossa humanidade através da sua vinda e trabalho. Por isso digo que ele é empreendedor do projeto Nova Terra e o patrocinador da nossa transição planetária.

Sempre avanti! Che questo è lá cosa piú importante!

Juliano Pozati

Artigos relacionados

Respostas