Ampliando a consciência

Este é o último texto da série Autonomia Espiritual: Uma jornada em busca da espiritualidade livre, de autoria de nossa aluna Márcia Vasconcellos, que nos brindou durante algumas semanas com contos cheios de insights, aprendizados e cocriados com base na intuição e vivência.

Sugestão inicial antes da leitura deste artigo último texto da série:

  • Tire um tempo em local silencioso e sem distrações para ler e fazer a proposta aqui apresentada (aprox. 30 a 40 min).
  • Material necessário: folha de papel A4, lápis preto e lápis de cor, caneta, régua, bloco de notas. Cronômetro (pode usar o celular).
  • Deixar uma música de fundo para meditação e, se possível, caso disponha, uma meia luz ou lâmpada com cor verde, azul ou roxa.

Querido (a) leitor (a), como vai você? Espero que esteja aproveitando, assim como eu, esta série e jornada em busca da espiritualidade livre.

Para mim particularmente tem sido de grande proveito e uma excelente ocasião de, ao escrever e criar histórias, ir construindo pensamentos e reflexões que me levam ao mais profundo de meu ser. Nunca poderia imaginar que teria esta oportunidade de cocriação tão magnífica e, ainda por cima, estar podendo compartilhar e interagir simultaneamente com pessoas tão singulares, únicas e especiais que buscam este autoconhecimento, conhecimento e desenvolvimento em diversas áreas de sua vida.

Façamos neste momento, uma breve pausa nas histórias e vamos tecer um pouco uma trajetória diferente. Nossa proposta aqui neste artigo é outra. Desencadear e desvendar véus de descobertas mais profundas, iluminando como candeias lugares que ainda se encontram um tanto quanto obscurecidos em nosso mundo interior, pois que precisamos nos tornar mais conscientes a respeito de nossa missão enquanto seres multidimensionais.

Por isso, nossa proposta hoje será diferente e dinâmica. Leia atentamente as instruções e logo a seguir faça este primeiro exercício. Para esta atividade, utilize o cronômetro e marque o tempo antes de começar e assim que terminar, desligue o mesmo.

Convido você nesse momento a colocar a sua iluminação e música de relaxamento e/ou meditação e logo após, a se assentar numa posição confortável e relaxada. Feche os olhos, preste atenção em sua respiração e a acompanhe naturalmente. Inspire pelo nariz, prenda por alguns segundos e solte devagar pela boca. Repita quantas vezes for necessário até que se sinta bem sereno (a), em paz e no fluxo. Você pode prestar atenção também nos sons do ambiente a sua volta, sem focar em nenhum em particular. Permita a sua mente, simplesmente, vagar e gentilmente conduza ela novamente ao movimento natural de sua respiração.

Feito isto, quando sentir-se plenamente relaxado (a), em paz, tranquilo (a), vá abrindo os olhos e retomando a sua consciência ao seu redor. Calma e vagarosamente.

Muito bem. Agora vamos a algumas anotações no seu bloquinho de notas.

  • Esse momento durou quanto tempo? Verifique o cronômetro.
  • Como você estava se sentindo antes do relaxamento? E agora?
  • Quais suas sensações? Sentiu alterações? Caso afirmativo, quais?
  • Como foi tirar alguns minutos do seu dia para experienciar esse tempo para você?

Bem, a proposta nesta primeira tarefa é refletirmos que não precisamos de muito tempo para:

  • a qualquer momento;
  • em qualquer lugar que estejamos;
  • em qualquer situação que experimentamos;
  • ou com qualquer pessoa com quem nos deparamos…

O fato é que não precisamos de muitos recursos além do mais básico e instintivo de todos – respirar – para silenciar, nos reconectar à Fonte Criadora e nos realinharmos energeticamente sem nos desequilíbrios e desarmonias desnecessárias, criando campos vibratórios negativos e pesados ao nosso redor e, pior, dentro de nós, produzindo toxinas para nosso próprio organizamos e, assim, gerando doenças psicossomáticas.

Continuando, então, vamos avante. Se preferir, a partir de agora, pode melhorar a iluminação para as atividades que serão propostas a seguir.

Você sabe fazer linha do tempo? Lembra como faz?

Pegue a folha de papel A4 deitada (estilo paisagem) e trace uma linha na horizontal. Faça um marco inicial do lado esquerdo com o ano de seu nascimento e do meio para o final (escolha um ponto) e coloque o ano de 2021. Veja no exemplo abaixo.

  • Aqui e agora, durante este tempo juntos na tarefa, tire alguns minutos para trazer à memória momentos, fatos, eventos de sua vida que foram positivos, alegres, felizes. Está lembrando? Como se sente? Muito bom, né? Importante ter vivenciado eles. Então, selecione alguns e por datas (anos), coloque na parte de cima da sua linha do tempo.
  • Agora, pense em situações, fatos, eventos tristes, negativos, difíceis de lidar pelos quais você também precisou passar durante essa vida. Desafiadores? Duros de relembrar? Dolorosos? Mas também foram importantes de terem sido vivenciados, não foram? Selecione alguns por datas (anos), e coloque na parte de baixo de sua linha do tempo.

Ambos fazem parte de sua história e constituem quem você é. Trouxeram você até aqui. Olhe para sua linha do tempo com atenção.

Depois, para continuar esse exercício, descreva as situações a que se refere cada data com detalhes ou como preferir e vá tecendo uma espécie de testemunho da sua história pessoal. Faz muito sentido olhar para trás e verificar o que você foi, de onde veio e onde está agora. Sua trajetória de vida – uma jornada. Quem você era, no que está se tornando e visualizar o que pretende vir a ser.

De posse disso, última tarefa: pegue o lápis e os lápis de cor, outro papel A4 e dê asas a sua imaginação. Faça um desenho livre. Pode ser ou não colorido. Do que vier a sua mente.

Quanto terminar de desenhar, olhe com carinho, amor e atenção. Dê um nome ao seu desenho e atrás do papel, conte uma estória sobre ele. Não há certo, nem errado. Deixe fluir…

Espero que esta jornada em busca da espiritualidade livre, tenha sido tão rica para você quanto foi para mim. Que o amor que nos uniu através da Egrégora do Círculo permaneça com a chama acesa por muito tempo. Sejamos Um em busca de autoconhecimento, conhecimento, amor, harmonia, paz, interação, cocriação.

Gratidão, gratidão, gratidão!!!
Sigamos em frente, “no fluxo e de boas”.
Um grande beijo e até a próxima.

Com carinho,
Marcia Vasconcellos


Leia todos os textos anteriores da série:

1 – Conto: o doce e o cão
2 – Comunicação Multidimensional: possibilidade de cura e libertação
3 – Conto: Às Escondidas
4 – Quebra-Cabeças
5 – Curto-Circuito: Eternos buscadores
6 – Conto: Sementes da luz
7 – Cozendo o passado com o olhar no futuro
8 – Borracheiro abençoado
9 – Sacadas: Em busca da autorresponsabilidade
10 – Conto: A grande sacada

Artigos relacionados

Respostas