As respostas virão, a par e passo, conforme o trabalho vai sendo desenvolvido (Reunião 78)

Participantes: Alicia, Edna, Fernanda, George, Juliano, Marcelo, Mariana, Priscila, Simone e Tayná
Data:
30 de setembro de 2019

COMUNICAÇÕES

Juliano: Vou ler uma coisinha aqui para nós, porque é um texto que eu estou precisando ler:

“Você guarda a impressão de haver esgotado o estoque de todos os seus recursos em determinada tarefa de amor. Mas, se você perseverar um tanto mais no devotamento, ninguém pode prever os louros de luz que brilharão no seu passo.

Você está doente e pretende obter licenças de longo prazo. Mas, se você continuar um tanto mais em serviço, ninguém pode prever o tesouro de forças novas que lhe aparecerá no caminho.

Você encontrou imensas dificuldades no serviço das boas obras e anseia fugir delas. Mas, se você persistir um tanto mais na construção da beneficência, ninguém pode prever o triunfo que as suas horas recolherão nas fontes vivas da caridade.

Você acredita que não pode tolerar o amigo importuno, o filho teimoso, o irmão inconsciente, a esposa inconstante ou o marido insensato. Mas, se você suportar um tanto mais a luta em família, ninguém pode prever a extensão do júbilo porvindouro no teu ninho doméstico.

Você supõe que o azar é o seu clima, e chora na bica do desespero. Mas, se você cultivar um tanto mais de fidelidade às próprias obrigações, ninguém pode prever a amplitude do seu êxito no amanhã que vem perto.

Você experimenta enorme cansaço e não quer dar ouvidos ao companheiro de longa conversa. Mas, se você esticar um tanto mais o seu sacrifício, ninguém pode prever os prodígios da colheita de bênçãos que surgirão dos seus breves minutos de gentileza.

Observe que você, mesmo para realizar isso ou aquilo, exige incessantemente dos semelhantes um tanto mais de bondade, um tanto mais de cooperação, um tanto mais de tempo, um tanto mais de carinho.

O gênio é a paciência que não acaba. É justo que você deseje um tanto mais de felicidade, mas, para isso, é necessário que você ajude um tanto mais na felicidade dos outros.

Repare você nas lições da vida e compreenderá que a vitória do bem é sempre trabalhar conforme o dever e servir um tanto mais.”

André Luiz (por Chico Xavier)


Egrégora: Boa noite a todos os amigos presentes.

Francisco: É um prazer ter vocês aqui hoje. Espero que consigamos atingir a expectativa de todos vocês.

Juliano: Fran, quantas pessoas estão, da parte de vocês hoje, envolvidas nessa reunião? Eu percebo a sala lotada. Não sei se é a egrégora dos forasteiros…

Francisco: Uma galera! Tem muita gente, principalmente para o trabalho de fundir essas novas energias que estão presentes.

Juliano: Fran, e vocês estão misturando nossas energias dentro dos nossos corpos, como o pessoal de Scole faz, ou vocês estão meio que canalizando, usando filtro pra isso? Se puder dar uma explicação. O René vai perguntar muito isso.

Olívia: Juntos somos mais do que a soma de todos. Juntos somos unidade. Unidade é comunhão. Não se deixem abater pelas controvérsias da existência humana no palco da vida. Todos temos boa experiência nos causos caóticos do dia-a-dia, mas acima de tudo é preciso haver respeito, autenticidade e integração, sem as quais a fraternidade torna-se inviável.

Que reine no meio de vocês a paz que nasce da contemplação do eterno horizonte encarnatório, revelando a beleza da vida além das vidas, da lei além das leis. Do ritmo que orquestra todos os ritmos, do amor que se expressa em toda a forma de bem.

Amamos vocês e estamos sempre por perto. Beijos

Alberto (Psicofonia Marcelo): Muitas das respostas que procuram, vocês já as têm dentro de si. É importante confiar na voz que fala dentro de vocês. A insegurança, muitas vezes, atrapalha na vibração. Por isso, é importante que, como grupo, um fortaleça a confiança do outro. As respostas virão, a par e passo, conforme o trabalho vai sendo desenvolvido. É importante dar o primeiro passo. Não esperemos mais! Vamos em frente, irmãos.

Juliano: Engraçado, eu estava entre Arthur e Alberto. Mas eu vi o A perfeitamente.

Marcelo: Nossa, é interessante que não é um nome nada comum pra mim, e me veio muito forte à mente.

Juliano: Talvez era uma dupla sertaneja, pode ser também.

Francisco: Vamos às perguntas.

Simone: Bom, queridos. Nós, do Círculo de Sintonia, gostaríamos de saber se captamos o início dos trabalhos de forma cocriada com vocês. Essa reunião mediúnica semanal, para nós, parece ser o começo, e gostaríamos de confirmar.

Alicia: Vocês também querem saber da abertura e encerramento das atividades, né?

Simone: Isso! Nós queremos saber como a gente poderia começar (qual técnica usar), como nos conectamos com vocês para captar o trabalho daí para cá.

Alicia: Como sintonizar a nossa egrégora e não outra egrégora, né?

Simone: Exato!

Francisco: A partir do momento que vocês iniciarem os trabalhos para o Círculo, nós nos conectaremos diretamente com vocês. A egrégora já está sintonizada e preparada para atendê-los. É importante que vocês definam um ritmo. Não necessariamente toda semana – o mais importante é que todos vocês consigam acompanhar esse ritmo, principalmente no início.

Fernanda: Entendi assim, Si: na verdade, a periodicidade vocês vão definir. Que seja uma vez por semana ou a cada quinze dias, o mais importante é estar o grupo junto nesse início.

Marcelo: A nossa dúvida é o formato mesmo da reunião. Como começar, etc. Quando você fez a pergunta, Simone, me veio à mente que o início deveria ser um estudo. Escolher um livro e estudar, de abertura, entendeu? Mas aí a gente queria confirmar, qual é o processo, entende? A gente começa com estudo, depois como é o trabalho mediúnico? Como a gente vai deixar cada um falar, enfim. Como é que a gente vai conduzir o modus operandi, na realidade. Acho que é essa a maior dúvida, né?

Francisco: Estudo sempre facilita o entendimento prévio. Mas, é importante que os encontros tenham esse momento de sintonia que facilita o próprio estudo.

Simone: Certo, então antes do estudo a gente faz um momento de sintonia.

Fernanda: A gente geralmente faz assim, só para vocês terem referências, a gente faz o estudo antes da reunião.

Alicia: Às vezes o estudo é uma conversa edificante.

Fernanda: Isso. Tipo ler um trecho do livro e conversar entre nós.

Alicia: E eles já podem, desde a primeira sessão, já partir para a psicofonia? Liberar, abrir aos médiuns, para quem sentir que captou uma mensagem?

Francisco: A ideia é que eles vejam o que se sentem mais à vontade de fazer. Nós estamos preparados para tudo. Mas, isto é 50% do caminho. Os outros 50%, vem de vocês.

Simone: Eu entendi que é uma confirmação de que já podemos começar o trabalho desta forma. É bom a gente elevar a consciência com estudo ou uma conversa sobre um tema edificante. É muito importante este momento prévio de sintonia para conectarmos o USB entre nós. E, a partir daí, entendo que devemos deixar fluir, pois no momento a gente vai saber o que fazer.

A Tay me lembrou de outro ponto: gostaríamos de saber também se podemos iniciar na casa de alguém, igual fazem essa reunião aqui (na Pozati) ou se, necessariamente, por conta de proteção, devemos fazer dentro de algum centro espiritualista.

Marcelo: Eu tenho um receio desse negócio de fazer em casa. É importante ter uma sinalização.

Alicia: Tem a casa de alguém já em vista?

Simone: Eu e Murin comentamos que pode ser na minha ou na dele.

Alicia: Melhor perguntarmos então. Pode ser na casa de alguém? E, se puder, podem apontar em qual casa estaria mais propício para já iniciarem os trabalhos?

Francisco: W

Fernanda: Não entendi, pode repetir?

Marcelo: Será que estão indicando algum outro local?

Fernanda: Eles fizeram tipo um M de ponta-cabeça e aí em cima um arco.

Marcelo: um W com arco.

Fernanda: É um W com arco?

Prancheta começa a desenhar novamente o símbolo.

Fernanda: Isso é um “@”? (risos). Sério? Tipo internet?

Marcelo: Uma reunião virtual?

Francisco: Sim!

Marcelo: WWW! (risos!)

Fernanda: Ai, que demais! Adorei!

Alicia: Peraí, estamos liberados para fazer reunião mediúnica via zoom? É isso?

Francisco: WWW – SIM!

Simone: Gente! Péra, péra, péra. É sério isso? Começar pelo zoom?

Marcelo: É muita quebra de paradigma, né?

Francisco: É uma prática necessária. Todo o lance do Círculo é para relacionamento também do conhecimento à distância.

Fernanda: Nossa, amo! Amo demais!

Alicia: A gente tinha muito medo, muito receio de como tratar os médiuns novos, por exemplo, como que a gente poderia dar um suporte, porque eu entendo que estamos todos conectados na mesma egrégora.

Francisco: O suporte somos nós que damos, a cada um.

Tayná: Essa reunião vai ser com práticas meditativas?

Alicia: Não, mediunidade, Tay! Reunião mediúnica liberada por zoom, você está em negação! (risos)

Tayná: Eu já entendi que dá para fazer virtualmente. O que estou pensando é como nós vamos começar?

Francisco: Sim!

Simone: É o que eles falaram. Começar com estudo e fazer a sintonia.

Agora, mais duas coisas: A gente pode começar já neste formato? E faz sentido aquela restrição de pessoas que pensamos de início? De chamar só as pessoas com quem já estamos sintonizados e harmonizados ou pode abrir para toda a plataforma? Eu entendo que é um piloto ainda, mas, vamos ver a resposta.

Francisco: Entendemos que é um teste primeiro para vocês que já tem facilidade e precisa ajustar o corpo a novas práticas – este é o passo 1.

Passo 2: será com o Círculo de Trabalho mais completo.

Passo 3: será a fase mais prática do Círculo de Sintonia já desenvolvendo os trabalhos que definirem.

Marcelo: Enquanto ia falando, estou vendo. Ia vindo as etapas assim. O 3º passo serão grupos pequenos, em vários dias da semana. Segundas, terças, etc. – com algumas pessoas conduzindo e recebendo os novos e orientando.

Simone: Eu também vejo isso, a gente faz nesse grupo e recebe outro grupo, que depois vai se emancipar. Depois recebemos outro e emancipamos. Sabe, não ter uma chefia que precise estar tudo embaixo dela. Nossa, isso facilitou muito a vida. Acabou o problema de horário, porque elimina o tempo de deslocamento e tudo mais.

Tayná: Eu entendi, mas estou tentando processar. (risos)

Marcelo: O virginiano precisa entender o seguinte: se eles recomendam um modus operandi da reunião ou se a gente vai determinar de acordo com aquilo que a gente perceber que precisa, entende? Tipo, como começar já entendemos. Mas, como é um zoom, para não ter todos falando ao mesmo tempo, entende? Como vamos coordenar isso?

Simone: Uma mensagem que eles mandaram quando eu estava louca tentando mapear tudo que eu via pela frente de mediunidade, me veio o seguinte: Para! Como catalogar o que você não experienciou? Então, imagino que vamos descobrindo.

Marcelo: É, e é um pouco daquela mensagem que recebi no começo, né? A gente tem que ir tentando.

Alicia: A gente pode perguntar também se este modelo de reunião mediúnica nossa é um modelo que vocês podem replicar. Sabe, uma música legal, o pessoal chegar e tudo mais, depois sintonia. Esquecendo um pouco a ferramenta (de ser via zoom), vamos pensar um pouco no modus operandi.

Fernanda: Acho que dá para ir testando.

Juliano: Francisco, deixa eu fazer uma pergunta/sugestão: você não acha interessante que nessa fase 1 eles alternem ou encontrem uma periodicidade para sentir presencialmente, e ir alternando com o zoom? Porque me parece importante, a mim pelo menos, a proximidade. Nem que eles se reúnam uma vez no mês, por exemplo, mas fisicamente para sentir o cheiro um do outro, o ectoplasma um do outro?

Francisco: A importância do contato físico é para facilitar para vocês o foco mental. Se conseguirem estar com o foco mental no mesmo lugar, não precisam da presença física. A mente é tudo. Nós nos conectamos pela mente com vocês. Prancheta é uma ferramenta importante para que acreditem, mas a conexão é sempre mental.

Marcelo: Posso fazer uma última pergunta? Se há alguma preparação que cada um precisa fazer nas suas casas antes de começar. Tipo, um evangelho, uma prece, alguma conexão prévia de preparação e de proteção, para proteger o ambiente.

Francisco: Podem fazer o que vocês conhecem, que já estão acostumados.

Juliano: Tipo, “whatever” (risos). A gente já falou que a mente é a base, se quiser tomar banho de erva, dar cambalhota, dar 3 pulinhos…

Alicia: Cara, eu escutei muito o Fran falando “3 pulinhos” (risos!)

Juliano: Olha, a prancheta está se movimentando.

Fernanda: Não, estava só sambando. Ele estava rindo.

Tayná: Isso (movimento de vai e vem na prancheta) é rindo?

Simone: Sim, eles riem muito! (risos)

Tayná: Bom, então é isso. Já podemos começar a reunião.

Simone: Isso, pode ser cada um na sua casa, via zoom. Vocês são muito high tech!

Alicia: Eu amo essa egrégora num nível!

Simone: Faz primeiro o estudo, depois a sintonia. Antes cada um faz o que quiser na sua casa para se proteger.

Juliano: Eu faria brigadeiro. Sempre ajuda! (risos)

Agora, achei bem importante essas etapas que ele colocou. Porque eles estão abrindo isso por terem já uma maturidade de experiência, e a maturidade de sintonia com a mesma egrégora. Agora, por exemplo, você não pode fazer um Webinar no Youtube e colocar as pessoas (aleatoriamente) porque isso seria uma tragédia. Me veio muito à mente algo… não falei nada com ninguém disso, mas semana passada tivemos uma conferência do Instituto com a Rebecca e o grupo tem gente no Japão, na Europa, nos Estados Unidos. E a gente faz uma sintonia todo começo de reunião, 5-10 minutos.

Tem um cara que é o “Chairholder” da reunião, uma pessoa que coordena a meditação. A hora que todo mundo fecha o olho e que esse “chair” começa a falar, você fica eletrizado, mediunizado. A última vez foi uma Xamã e eu sentia tipo uma pelota, como se fosse uma maçã na minha garganta. Sabe, se houvesse espaço, rolava psicofonia. É impressionante.

E o instituto, por incrível que pareça, nós estamos discutindo lá a possibilidade de encontrar o Conselho pessoalmente, porque as pessoas não se conhecem pessoalmente. O Instituto de Exoconsciência, no mundo, trabalha com cocriação via zoom.  E rola, estou dando meu testemunho.

Achei muito estranho o Francisco entrar nessa vibe, mas enfim…

Simone: Sim, e a egrégora do Círculo sempre foi muito de ir na nossa casa. De você estar lá, na sua cama, tranquila. E de repente os caras chegam com tudo. Por isso que o lugar estava “truncado”.

Marcelo: É, e a gente não se ligou nisso, né?

Juliano: O lugar da reunião é o endereço vibratório.

Fernanda: E é legal pensar que, se o Círculo nasceu como uma plataforma, é meio óbvio que ele vá continuar nesse formato online, né.

Marcelo: Até porque muita gente vai poder participar.

Juliano: A internet é só a representação física do nosso plano mental.

Egrégora (psicofonia Marcelo): Muitas surpresas ainda estão por vir. Estamos muito felizes com a excitação de vocês. Mas, preparem-se, foquem no estudo e na prática, com padrão, são pontos fundamentais. Não queiram antecipar nenhuma etapa. Haverá tempo para tudo e para todos. Perguntem que vocês receberão as respostas quando for preciso. Estaremos com vocês a todo momento.

Artigos relacionados

Respostas