fbpx

Autorresponsabilidade como caminho para a saúde

A ciência evoluiu absurdamente na área da saúde física do ser humano no último século, em especial. A pandemia de Covid-19, iniciada em 2020, é uma prova disso, se comparada à última pandemia mundial, a Gripe Espanhola, em 1918. 

Apesar de todas as questões políticas e sociais envolvidas, em menos de dois anos, temos vacinas que reduzem fortemente as consequências da doença nos infectados. Até mesmo a evolução da tecnologia da comunicação, com a internet, contribuiu para que os cuidados fossem disseminados de forma mais abrangente, do que no início do século XX.  

Ainda assim, saúde ou doença seguem sendo uma competência da consciência de cada um de nós, e uma escolha do espírito. Essa é uma afirmação da Dra. Mônica de Medeiros, médica há mais de 30 anos, que atua com medicina integrativa. A Dra. Mônica traz um olhar ainda pouco comum nas ciências da saúde, de que a espiritualidade pode ser compreendida como um eixo na busca de uma vida mais saudável.

“A espiritualidade nos dá a consciência de que somos seres multidimensionais. Que temos um passado e um futuro eterno de aprendizado. E então compreendemos que o agora é resultado do que passou, e que temos que trabalhar isso no sentido de dar uma soma positiva. A espiritualidade nos dá essa gama para compreensão de nós mesmo, do que existe no entorno e como usá-lo a nosso favor”, explica. 

Dentro dessa premissa, o profissional de saúde trata o paciente e não a doença. E tratar o paciente é tratar o físico, espiritual e mental, além de olhar para o ambiente onde a pessoa está inserida.

“Eu vejo um erro primário quando focamos na doença. Precisamos focar na pessoa, e a pessoa é corpo, alma, mente e meio ambiente. Para ter saúde não dá para fugir da realidade de que você é quem comanda seu corpo. E não seu corpo que comanda você. Se você é uma pessoa que tem todo o foco de ansiedade no tubo digestivo, por exemplo, esse é seu calcanhar de Aquiles. Seu estômago, bile, pâncreas, todos têm que pensar diferente. Eles são seu saco de pancadas”, alerta. 

A partir de uma experiência pessoal de tratamento e cura de um câncer, a Dra. Mônica entendeu que a autocura pode ser caminho para integrarmos nosso ser e buscar mais saúde, se entendemos que somos uma alma em evolução contínua. 

Nessa jornada, ciência, autoconhecimento e autorresponsabilidade são essenciais. E muitas vezes podemos começar com atitudes simples. Conheça as seis leis da autorresponsabilidade criadas pelo PhD Paulo Vieira e expostas em seu livro “O Poder da Ação”.

Para a Dra. Mônica, quem tem autorresponsabilidade, não se vitimiza. Logo, o exercício da autorresponsabilidade é o exercício da maturidade espiritual.


Se você está em busca de mais saúde com um olhar científico integrado à espiritualidade, indicamos o curso Saúde, uma escolha do espírito, com Dra. Mônica de Medeiros. Esse curso abre matrículas apenas uma vez ao ano, pois é longo e profundo, com base em diversas vertentes e especialidades. Para saber mais, clique aqui.

Artigos relacionados

Respostas