fbpx

Casa do Consolador e sua missão socioespiritual

Conheça o projeto social que será apoiado
pelo ingresso solidário do III Congresso do Círculo

Há 29 anos na cidade de São Paulo, a Casa do Consolador, centro espiritualista universalista, leva alimento espiritual e material para quem quer estudar sobre espiritualidade, evoluir como ser humano e exercer a fraternidade. Atualmente, a Casa distribui 1000 cestas básicas por mês para famílias carentes cadastradas. Conheça um pouco mais sobre este local que coloca em prática a lei da fraternidade universal, exercendo a caridade em todas as suas dimensões.  Entre os muitos trabalhos sociais, o Projeto Dirce Moura será o destino das cestas básicas que serão doadas junto com cada inscrição para o III Congresso do Circulo, que acontece online, dia 3 de julho.

Mônica de Medeiros e Margarete Aquila
Imagem de uma das lives feitas no Canal Mônica de Medeiros, pelo YouTube.

Mônica de Medeiros, uma das fundadoras, e Margarete Áquila, presidente, atuam em conjunto com 87 trabalhadores e 150 voluntários nos projetos sociais, que não pararam nem com a pandemia. Desde março de 2020, impossibilitados de fazer atividades espirituais presenciais, Mônica e Margarete foram orientadas pelos mentores a iniciar lives pelo YouTube, como forma de levar mensagens de conforto às pessoas e também dar continuidade aos projetos sociais.

Após um ano de lives, duas vezes na semana, em que mentores da casa também trazem suas mensagens pela mediunidade de Mônica, o trabalho chega a ter mais de 200 mil visualizações por live na plataforma. O que elevou a distribuição de cestas básicas de cerca de 170, antes da pandemia, para 1000 por mês, com as doações recebidas.

Mônica destaca que de março a setembro de 2020 houve um boom de doações e a Casa chegou a distribuir duas mil cestas básicas em um mês, já, este ano, reduziu muito.

“Mas a fome e a miséria estão crescendo. Temos zero em políticas governamentais para sustentar a pandemia, o vírus segue circulando e hoje temos o triste título de epicentro mundial de COVID-19”, lamenta.

Conforme dados da Prefeitura de São Paulo, em novembro do ano passado, a cidade tinha 25 mil moradores de rua, atualmente, já são 38 mil.

“Um dos grandes motivos dessa pandemia é nos ensinar a sermos mais solidários, que é a pedra mol desse edifício chamado solidariedade. Nosso país tem proporções continentais e enquanto pudermos ser úteis ao próximo, mitigar a fome e o desespero, estaremos sendo úteis a nós mesmos e protegendo aos nossos”, afirma Mônica.

Como contribuir

Quem se inscrever no III Congresso do Circulo já estará contribuindo com uma cesta básica para o Projeto Dirce Moura. Mas também é possível ajudar os projetos sociais de diversas outras formas como: assistindo às lives de quintas e sábados, às 20h, onde é possível doar valores direto pelo YouTube; fazer doações pelos dados bancários contidos no site; adquirir produtos no site da Casa como cursos em EaD, livros e camisetas; além dos sites Margarete Áquila e Ufologia Integrada.  A Casa também aceita doações em espécie de roupas, cobertores, alimentos e ração animal.

Conheça todos os projetos sociais da Casa do Consolador

   

  • Projeto Dirce Moura (mensal) – criado em 1992, junto com a fundação da Casa, atende famílias cadastradas que recebem cestas básicas mensais a partir de cadastro e preenchimento de requisitos;
  • Projeto Alice Vieira de Sá (semanal) – desde 2000 são distribuídos 1500 almoços aos domingos para moradores de rua de São Paulo, em especial Vila Brasilândia, Braz e Sé;
  • Projeto Irmã Dulce – acontece sempre de maio a outubro, nas sextas-feiras à noite, quando são distribuídos alimentos quentes, cobertores e ração animal para moradores de rua;
  • Projeto Mama – distribui enxovais de bebê completos e kits de higiene para mães carentes;
  • Projeto Árvore de Vida – desde 2000 atende protetores de animais cadastrados e visitados com ração animal e hoje atende cerca de 650 animais com veterinário, alimentação e cestas básicas para as protetoras;

Atendimentos espirituais

Em função do distanciamento social e segurança devido a pandemia, o atendimento espiritual ocorre à distância pelo site. Uma equipe de 70 voluntários trabalham na triagem, cadastro e envio das respostas, além dos médiuns e mentores. Basta preencher o formulário. Também foi criado um plantão telefônico, com WhatsApp, para acolhimento e orientações sobre os tratamentos espirituais, que podem ser consultados em Plantão.


Artigos relacionados

Respostas