Conto: E se a gente voar?

– E se a gente voar?

– Agora? 

– Sim, agora!

– Ah, mas eu iria pra um lugar que você não gosta muito…eu sei que é difícil pra você estar lá…

– É verdade, mas eu vou com você mesmo assim!

– Mas você sempre diz que estamos aqui para fazer escolhas, você vai abrir mão de estar em um lugar que gosta pra ir a um que não gosta?

– Sim, o agora é o que importa, demorei muito para entender isso, ficava remoendo o passado, fazendo planos para o futuro…e de repente tudo ficou pra trás e só aqui entendi que devemos viver um dia de cada vez, fazendo escolhas, prestando atenção nas oportunidades que aparecem, sendo feliz…e hoje, ir com você é a minha escolha.

– Mesmo? 

– Olha só…a sua companhia é o que eu quero neste momento, sei que outras possibilidades de voar surgirão só não sei se terei você pra ir comigo.

– Você me faz sorrir…como nos velhos tempos…

– Eu sei…então vamos?

– Sim! Mas antes queria dizer que estou feliz em ter a chance de te levar até lá depois de tanto tempo…e se fomos autorizados a ir juntos é porque você está liberado para começar a se readaptar com o ambiente e enquanto eu puder, vou te ajudar no que for preciso! Como eu gosto desse lugar, talvez eu consiga mostrar algo que te interesse novamente, consiga fazer você ver as coisas de lá de uma outra forma já que sua última experiência não foi nada fácil.

– Concordo com você…de uma maneira geral, às vezes o que precisamos é somente mudar o lado que estamos olhando e aquilo que era chato, incomodava e não dava mais prazer, passa a ser algo novo, algo que somente por estarmos dispostos a encarar de uma outra forma, nos alivia e nos enche de esperança. E por incrível que pareça já estou me animando para voar até lá! 

– Então vamos, me dê sua mão, feche os olhos e abra seu coração…confia em mim, vou te mostrar o meu lado de enxergar as coisas neste lugar e tenho certeza que vamos passar ótimos momentos juntos!

– Sempre confiei em você, sei que vou me divertir e aproveitar esta chance de iniciar minha readaptação. Eu escolhi voar com você e estar com você e quando as coisas não são impostas, tudo fica mais leve e flui naturalmente…vamos!

– Pronto, estamos quase chegando, pode abrir os olhos que vamos olhar esse lugar daqui de cima.


– Nossa, está diferente…tem certeza que é aqui? A minha lembrança desse lugar não era nada agradável mesmo…

– Tenho! Daqui temos uma visão geral da cidade que vivemos e conseguimos ver as coisas por um outro ângulo.

– Parece outro lugar…afinal faz muitos anos desde minha passagem por aqui, mas agora estou conseguindo reconhecer alguns lugares e até enxergar novas possibilidades…

– Consegue ver aquele prédio azul, alto e robusto bem no meio daquelas árvores? 

– Consigo ver sim… 

– Meu retorno será exatamente ali, um dos inúmeros apartamentos será meu novo lar…

– E agora consigo até sentir no meu coração que sua hora de voltar está chegando…

– Você tem razão…não vai demorar muito…minha chegada naquele lar está sendo muito esperada, pois vamos dar continuidade a algo que ficou pendente e precisa ser retomado…

– Sim, naquela época faltava informação sobre o assunto e infelizmente a reputação das pessoas era mais importante do que uma vida…

– É verdade, precisei estudar bastante durante minha preparação e tenho observado que ampliei muito meus conhecimentos e o mais gratificante é que sinto que estou pronto e isso tem me deixado feliz!

– Tenho certeza que dessa vez vai dar tudo certo…vou sentir sua falta!

– Estaremos em sintonia…você ainda ficará mais um tempo se recuperando e se readaptando, mas na hora certa vamos nos reencontrar!

– Sim e vou praticar mais essa experiência de ver as coisas por um outro lado…realmente funciona!

– Que bom! É importante pra você ir se libertando dos momentos ruins que vivenciou por aqui e sentir que você está voltando a gostar daqui será muito positivo para a sua recuperação. E pra marcar este momento, aqui será o nosso ponto de encontro. Agora vem, vamos voar para o lado de lá da cidade!

– Agora que consegui ver as coisas por um outro ângulo vamos nos divertir! Quero aproveitar ao máximo a sua companhia!

– E eu a sua!


– Adorei nosso passeio! Podemos caminhar um pouco para conversarmos mais?

– Claro, vamos naquela direção…lá adiante tem um jardim lindo, venha!

– Sei que algumas coisas não podem ser ditas…mas agora que você me revelou que seu retorno será em breve, me conta um pouco mais sobre esse resgate?

– Conto sim, vamos lá…quando conseguimos resgatar erros avançamos em nossa evolução e esta oportunidade será dada a pessoa que não permitiu meu nascimento, que não conseguiu encarar a gravidez como uma prova e optou pelo aborto. Hoje ela entende que passou por uma situação necessária para o seu desenvolvimento e vai enfrentar nessa mesma existência a recuperação da falta cometida pelo mau uso do livre arbítrio. 

– Vamos sentar ali para eu poder prestar bastante atenção! Este jardim é lindo mesmo…

– A mulher que pela segunda vez será minha mãe, hoje enxerga o aborto cometido de uma maneira mais experiente. Nas sessões espíritas que frequenta e nas aulas e palestras que assiste, ela já conseguiu aceitar que o aborto interrompeu a possibilidade de me receber como filho e que iríamos resgatar erros do passado. Desde então ela vem praticando o bem, refletindo sobre o acontecido e orando para poder novamente dar vida a outra criança. 

– E demorou para esse entendimento acontecer?

– O tempo é muito relativo, mas nesses 22 anos não conseguiu engravidar, muitas coisas aconteceram na vida dela e na verdade precisavam acontecer para que a minha volta fosse desejada.

– Muito interessante…conta mais…

– Agora, mais madura e se interessando por estudar a espiritualidade graças ao meu pai, pediu calorosamente ao Universo uma nova chance para se redimir perante Deus e como esse plano já estava traçado na nossa vida terrena, ela engravidou para que nós três pudéssemos retomar nossa missão.

– Perfeito…e sobre o seu pai? É a primeira vez que fala nele, o que você sabe sobre ele?

– O meu pai também precisava viver outras experiências para poder sentir o que é realmente uma família. Naquela época minha mãe tinha apenas 16 anos e ele também era muito jovem. Mas o ponto principal é que a decisão do aborto foi feita por ela e isso pesou muito nos anos seguintes de sua vida. Até que um dia sentiu uma vontade muito forte de entender certos acontecimentos e foi através do espiritismo que seu coração foi se acalmando. Reencontrou minha mãe depois de muitos anos e entendeu que era com ela que deveria construir sua família para assim me receber de volta!

– É uma história muito bonita…

– É…hoje tenho muito orgulho dos meus pais porque apesar de tudo o que aconteceu eles conseguiram manter a sintonia para a continuidade de nossas missões. 

– E como tudo muda quando as coisas são esclarecidas…você vai nascer na mesma família porque é lá que terá a oportunidade de reparar um erro cometido, de perdoar e ser perdoado, na convivência do dia a dia!


– É meu amigo, sua hora de voltar à Terra está bem próxima…sei que ficaremos distantes por um tempo, mas espero que devido ao esquecimento do passado não se esqueça de mim.

– Sim, meu retorno será em breve…eu ainda consigo ter consciência dos acontecimentos, mas na vida corpórea o esquecimento se dará e vai depender de mim saber aproveitar essa oportunidade de reencarnação para quando eu voltar para a vida espiritual  e ter a lembrança do passado novamente, poder me orgulhar que desta vez consegui evoluir e seguir meu caminho, não permitindo o retardamento de minhas provas.

– E por falar em provas, são tantas as variações de provas que podemos passar que às vezes nem nos damos conta que aquilo que estamos vivendo é uma oportunidade de resgate. 

– Sim, e às vezes julgamos uma situação ser pesada demais, mas na verdade nunca nosso fardo será maior do que podemos suportar.

– É muito bom conversar com você, sempre aprendo ou reforço algo que sabia, mas que não estou colocando em prática…como perdoar, por exemplo.

– Pois é, perdoar, e se perdoar, para também ser perdoado!

– Sei que é necessário, mas ainda acho o perdão e o autoperdão algo muito difícil …  

– Concordo, mas quando você estuda e busca informação começa a entender. Devagar aceita que errou e o processo de perdão e autoperdão se inicia. É como quando elevamos nosso pensamento, saímos de uma frequência vibratória e mudamos de faixa. Esse fenômeno nos possibilita olhar e enxergar o quanto ainda temos que aprender e colocar em prática o tão falado amor ao próximo.

– Amar ao próximo como a nós mesmos…outra coisa difícil pra mim depois de tudo que passei na última encarnação…

– Te entendo, mas uma coisa eu te digo…aproveite o tempo que terá e estude, adquira conhecimento nas mais diversas áreas mesmo que não signifique nada para você naquele momento…estamos indo em busca do todo e às vezes o que para nós ainda não faz sentido já é uma preparação para algo que acontecerá em um futuro próximo.

– Você tem razão, nosso foco deverá ser cada vez mais para um bem comum e sem o perdão e o amor ao próximo é praticamente impossível. 

– Sim…você será orientado e participará de ensinamentos e de atividades que vão te elevar e assim agregar aprendizado para quando sua volta à Terra chegar.

– Vou seguir suas orientações e me preparar para fazer parte deste novo momento e contribuir para o todo!

– E lembre-se que existem muitas moradas e cabe a cada um, dentro de seus propósitos, expandir os conhecimentos que cada vez mais serão divulgados para os que se engajarem na missão do bem e da fraternidade.

– Tem algumas coisas que ainda não entendo, mas buscarei os esclarecimentos necessários para fortalecer minha fé e praticar o autoconhecimento.

– Isso é o que se espera de você meu amigo…estarei sempre que possível ao seu lado. 

– Tenho certeza disso…mas como vou saber quando estará por perto e que realmente é você?

– É simples, quando você abrir os olhos e se lembrar de mim saberá que sou eu, pois se reconhece aquele que partiu quando se tem certeza da essência de sua alma!

Regina Fava
Meus agradecimentos aos mentores, aos protetores e à equipe espiritual de apoio.

Conto intuído/psicografado ao longo dos últimos meses por Regina Fava, de Campinas/SP e oferecido para publicação ao Círculo. 

Artigos relacionados

Respostas

  1. Conto muito bonito! Grande sensibilidade da autora e dos irmãos espirituais para tratar de um tema tão sensível como o aborto. Obrigada, Círculo, por compartilharem esse conhecimento conosco!

  2. Conto leve, delicado, que trata com carinho a possibilidade de corrigir um erro do passado. O conhecimento de que há essa possibilidade (de tentar novamente), é fundamental para entender que a vida não acaba e que há outros caminhos possíveis.
    Agradeço a oportunidade de ler esse conto!