E nem só de seriedade vive o homem

Ufologia é assunto sério por aqui, mas o Acervo do General Uchôa mostra que o humor também tem vez 

Na última semana abordamos uma série de recortes de jornais do Acervo do General Uchôa sobre um caso falso de avistamento de disco voador, ocorrido em Goiás. Agora, a gente traz mais uma série de recortes da imprensa, porém um tanto mais divertidos. Isso porque nem sempre o assunto ufologia é tratado com a devida seriedade e até hoje as pessoas que avistam OVNIS ou têm experiências dessa natureza são motivo de desconfiança.

Como alerta Juliana Rissardi, Historiadora responsável pelo Acervo, em um universo tão imenso de um acervo, sempre podemos nos divertir um pouco.

“Já dei muitas risadas por aqui com as matérias inusitadas que o General colecionava. Às vezes me pego pensando no General lendo elas e dando risada também, e rimos juntos kkkk. Mas o humor não deve tirar nosso senso crítico, não é porque são escritas com humor que não sejam verdadeiras, mesmo porque estamos analisando mais a forma e estética em que as notícias foram abordadas e colocadas em destaque, do que o seu próprio conteúdo que é sério, mas espero que se divirtam”.

O rapaz sóbrio que viu um aparelho que não emitia som

Esta matéria do Jornal Tribuna da Bahia, de Salvador (BA), datada de 25 novembro de 1972, destaca o relato de avistamento de um disco voador por um estudante em Brasília. O engraçado, certamente, é o que está entre parênteses no título da notícia. Mas o curioso é que no relato do rapaz é detalhado e que o objeto, apesar de grande e com luzes, não emitia som.

Pequenas criaturas e disco voador na estrada

Difícil não rir com essa notícia, que vale a pena ser lida na íntegra, sobre o susto da população fluminense devido aos avistamentos, perseguições e abduções de discos voadores e seus “tripulantes estranhos que parecem anões de histórias infantis”. O fato ocorreu em Itaperuna, Tombos e Cataguases (RJ) e foi publicado no Jornal do Brasil, do Rio de Janeiro, de 28 de setembro de 1971.

Abdução de casal para outro país

Nesta nota de jornal sem identificação, do ano de 1969, vemos o relato de abdução de casal que estava viajando do Rio de Janeiro para São Paulo de carro e acordaram no México, com queimaduras radioativas. O que dizer?


Fenômenos paranormais ou espíritos

Já nesta matéria do Correio da Manhã, do Rio de Janeiro (RJ), de 20 de dezembro de 1967, a história é fenômenos estranhos ocorridos em residências, que mais parecem de origem paranormal ou espiritual.

O encerramento de casos como Condon e Blue Book

Nesta matéria com título cheio de humor, temos um registro importante na ufologia mundial, sobre o encerramento das investigações pelos EUA sobre operações famosas como Condon e Blue Book. O texto ainda fala das aparições frequentes nos céus e traz desenhos a partir de fotos. A publicação é do Jornal do Brasil, do Rio de Janeiro, de 11 de setembro de 1970.

Mais uma vez, o caso da Serra Dourada

E para encerrar, voltamos ao caso do disco voador falso, mas agora com uma matéria em página inteira sobre a descoberta da fraude do disco voador na Serra Dourada, em Goiânia. O jornal é de 30 de junho de 1969.

 

Acesse aqui a íntegra do Projeto Acervo do General Uchôa, um compromisso assumido pelo Círculo com a família Uchôa, que confiou aos cuidados da escola documentos pessoais do General. O acervo conta com entrevistas para imprensa, recortes de jornal, psicografias, áudios, desenhos etc…num trabalho vivo que está sendo desenvolvido e disponibilizado pelo Círculo.

Seguimos a cada semana revelando um pouco do que vamos descobrindo no Acervo. Leia também:

 

Artigos relacionados

Respostas

  1. Que Maravilha !!!!
    Material riquíssimo!!! Nossa será que hoje em dia seria possível achar o pessoal que fizeram parte destas historias para eles relatarem nos dias de hoje? Fiquei muito curiosa para saber o que as pessoas que viveram estas experiências pesam hoje em dia. Adorando ver o trabalho do General tendo continuidade. Parabéns pela divulgação.