Existem energias poderosíssimas sendo canalizadas para esta direção (LAB 01)

Participantes: Adriana, Fernanda, Juliano, Larissa, Marcel, Mônica, Rene e Simone
Data:
25 de agosto de 2020

COMUNICAÇÕES

Larissa faz a oração de abertura fixando o propósito dos encontros (grupo de experimentação de fenômenos físicos).


Prancheta

Olívia: Boa noite, turma da pesada! Com sapos e tudo que tem direito!* (risos) Estar com vocês no dia de hoje é mais do que um presente, e sim um momento histórico para relembrarmos nos anos vindouros com muito carinho. Esperamos que a felicidade de vocês seja tão grande quanto a nossa.

Teve muito trabalho para chegarmos até aqui. Trabalho do lado de cá e também do lado de vocês. Sempre chega o momento da colheita, e cá nós estamos para colher os frutos de tanto amor, companheirismo e dedicação que cada um de vocês, ao seu modo particular, dedicou a este projeto. Seremos sempre a batida inicial de um coração que começou a pulsar e que cada vez baterá mais forte, com a certeza de que tudo está apenas começando e de que o melhor ainda está por vir, não é isso, Ju?

Um beijo carinhoso, com muito amor, dentro de cada um de vocês levem e guardem o dia de hoje como algo especial que deverá ser honrado para sempre.

Boa noite, Olívia

* A piada do Sapo diz respeito aos barulhos engraçados que o estômago do Marcel costumava fazer sempre que iniciávamos uma reunião e o silêncio tentava se impor.


Francisco: Gente, boa noite! É o Francisco.

Juliano: Quanto tempo, Fran! Vocês vão nos avisar na hora da psicofonia? Como vai ser?

Francisco: Estou muito empolgado! (risos) Ia falar sobre isso mesmo. A ideia, como vocês conversaram, é que nós também gostaríamos de psicofonia conversada. Seria legal se tentassem se educar para partirmos para essas conversas, pois ganhamos muito tempo desta forma.

Juliano: Fran, eu faltei no seu curso de desenvolvimento mediúnico, como você sabe. Então, o que você pode falar no sentido de dica para preparação e (emocionado) – deixa eu terminar de fazer a pergunta, bandido – como é que ficamos no estado de sintonia para manter a conversa sem atrapalhar – sem estorvar, isso que quero dizer.

Mônica: Acho que consigo responder.

Francisco (via Psicofonia Mônica): É que todos nós estamos em treinamento também, então vou tentar manter aqui a sintonia para o diálogo, pois assim realmente fica mais fácil a nossa conversa. Pois não, podem perguntar…

Simone: Tem algum preparo pra gente, Fran?

Francisco (via Psicofonia Mônica): A médium está com receio porque ela não compreende o que se diz. Nós vamos tentar manter a comunicação fazendo os devidos ajustes. Para que ela consiga se sentir mais tranquila, seria interessante que conseguisse ouvir os comentários e as perguntas.

Fernanda: A Simone perguntou se há algum tipo de preparo para toda a equipe aqui. Não só com relação à psicofonia, né, Si?

Simone: É. Em relação à função de cada um, no caso.

Juliano: E eu perguntei como manter a sintonia psicofônica durante o diálogo sem perder a sintonia, sem cair na vala de interferir no que está sendo dito.

Francisco (via Psicofonia Mônica): Isso fica bastante claro porque existe um fluxo de energia que permeia o pensamento, que permeia a ação energética e o fluido, e você percebe porque fica fácil de responder.

Quanto ao preparo, é interessante apenas que se disponham a vir com alegria, com interesse. Experimentem, assim como a médium está experimentando. Pode ser, sim, que em alguns momentos haja a interferência da pessoa durante a fala, mas isso faz parte dos ajustes até que a pessoa se sinta mais adequada e se entregue ao fluxo do diálogo. Porque fica bastante claro na hora que a energia cai pra pessoa, entendeu?

Enquanto todos estiverem atentos e ouvindo o que está sendo dito, isso já é um indicativo de que esse momento de interação está sendo retroalimentado, compreendem? A médium está sentindo neste momento o fluxo da energia dos pensamentos e está sendo relativamente fácil para ela transmitir os nossos pensamentos. Isso ficou claro?

É natural que exista algum receio, um pensamento do tipo “não sei se consigo”, mas encorajamos fortemente a experimentarem, pois só assim veremos as possibilidades de cada um. É interessante que cada um possa falar um pouco, se colocar à disposição para teste, para testar a si próprio e também para teste por parte da egrégora, para vermos como que flui essa conversa, o pensamento, enfim… A sintonia de trabalho que estamos começando a implantar.

Larissa: Então quer dizer que não existem ainda exatamente as funções definidas de todo mundo? É algo que vamos descobrindo ao longo do processo?

Mônica: Gente, não estou conseguindo ouvir. Vou passar a vez para quem quiser…

Larissa: Quer que eu repita a pergunta mais alto, Moni? Eu perguntei se eles ainda não sabem ao certo como será exatamente o desenvolvimento de cada um, qual a função que cada um irá desempenhar.

Mônica: É, foi isso que eu entendi, Lari.

Mônica: É interessante agora que vocês se coloquem à disposição e, se sentirem um ímpeto de falar, podem falar, entendeu? Mesmo que seja para falar como estou falando agora (intuída), porque é um treino. Por exemplo, isso que estou falando agora é um pouco meu e um pouco encorajado pela equipe, tá?

Rene: É uma disposição mental…

Larissa: É, isso é bastante interessante.

Rene: É, porque eu não tenho a menor noção do que significa alguém chegando para falar por mim…

Fernanda: Eu também não.

Larissa: Eu também não.

Rene: Se não tiver alguma coisa física… (sinal mediúnico físico)


Juliano: Sinto uma pressão muito forte na laringe que fica a empurrando para trás. Parece que tem uma bola de pelo entalada na garganta. E o fluxo do meu coronário, já bem conhecido, com formigamento, pressão. Estado meio com um pé em cada canoa… às vezes alguns influxos de emoção que não consigo controlar.

Estou tendo que dar um… estou medindo, tomando água para ver… A hora que o “véio” quiser, ele usa. Na verdade, está uma coisa… Chega a dar um pouco de ânsia por causa dessa bola, então só estou esperando…

Larissa: Dar uma estabilizada..

Juliano: É…


Rene: Eu vi a mão da Mônica na prancheta e deu muito a sensação de que já rolou reunião assim há muito tempo e que agora é uma reunião super moderna perto de uma velha. Vi umas pulseiras no braço dela.


Mônica: Ainda estou com a sensação… Fica parecendo que estou muito pesada – essa é a sensação da incorporação. Para mim é uma novidade falar que sei que estou conectada, estou plugada, digamos assim – o que está me brecando é a parte auditiva, não consigo compreender direito o que vocês falam. Mas, se eu me colocar à disposição, já começo até a sentir… Lari, a gente pode dar as mãos?

Larissa: Pode. A gente pode tudo hoje.

Juliano: Está engraçado, porque a mão da Mônica está quente e a da Larissa está fria, parece que estão em pólos diferentes.

Fernanda: Aqui também assim, a do Marcel está quente e a da Lari está fria.

Rene: Aqui também.

Marcel: A do Rene está molhada! (risos)

Adriana: Da Simone também, estou sentindo.

Simone: É tipo como se eles estivessem afinando uma orquestra que ainda não está no mesmo tom.

Marcel: Nada que umas quatro reuniões não resolva.

Larissa: Se for em quatro, estamos no lucro.

Simone: Parece que eles querem que a gente continue falando, né?

Rene: Eu tive uma sensação que parece que me colocaram uma espécie de luva, sabe? Como se tivesse um negócio entrando e preenchendo o espaço.

Marcel: Eu, na minha cabeça, a todo momento estou pensando na última pergunta que foi feita com relação à função de cada um e, não sei, só me vem a palavra ‘sim’ – que cada um tem uma função bem definida, sim. É um pressentimento.

Adriana: Eu acho que eles estão um pouco para trás. Ali, perto dos cristais.


General (Psicofonia via Juliano): Muitíssimo boa noite, minha gente! Finalmente consegui que essa teimosia desse menino me deixe falar! Já estou quase todo embolado na garganta dele e ele não me libera. Olha, vou lhe dizer… já tive supervisor teimoso, mas subalterno teimoso é triste, triste! (risos)

Já quero pegar o gancho da conversa para dizer que temos aqui na nossa retaguarda alguns técnicos que estão trabalhando diretamente sob o domo e os aglomerados de cristais, que deverão, nas próximas reuniões – quando o domo for centralizado – ser alinhados com os pontos cardeais.

No sábado, quando nós dissemos dos trânsitos de energia, é importante que vocês entendam que nós estamos criando um verdadeiro pandemônio no plano dimensional onde estamos… É uma confusão! Pense num show dos Rolling Stones – pense, Adriana, pense! – Naquela confusão de transeunte com camelô, aquela balbúrdia, sabe mesmo como é?

De todos os lados, existem energias poderosíssimas sendo canalizadas para esta direção. E não é à toa que os médiuns vão sentir-se estremecendo de emoção e às vezes a voz vai embargar – porque são instrumentos, Simone, instrumentos que estão tendo as suas cordas psíquicas e emocionais alinhadas e apertadas para que todos sejamos uma única voz num único tom. Fazer uma reunião, uma experimentação desse tipo é como fazer uma grande sinfonia, e vai algum tempo afinando os instrumentos. Mas, me acreditem e confiem quando digo que a quantidade de energia que está sendo aportada aqui, as tecnologias que o nosso mestre Jesus permitiu utilizar, são tecnologias de ponta!

Agora, há um treinamento duplo. Se por um lado os médiuns precisam treinar o fluxo das palavras e dos pensamentos sem interferir com a razão crítica naquilo que estão falando, por outro lado aqueles que participam também precisam treinar não ficarem feito uns avacalhados que não perguntam nada. Vocês têm a oportunidade de estar em contato com outra dimensão e simplesmente ficam só ouvindo como carolas de igreja!

Perguntem! Falem! E, à medida em que for se desenvolvendo esse fluxo de palavras que fogem do controle inclusive das cordas vocálicas do médium e que não pode sequer ser projetado no seu plano mental, aí sim nós teremos condições de um diálogo preciso. E eu, como bom nordestino, falo rápido! Não sou lento como o Pozati, né? Que enrola, enrola, enrola… Mas também sou contador de histórias, obviamente vou contar as minhas histórias…

A verdade é que há um fluxo inconfundível de energia, uma transmissão telepática que permeia e domina o ambiente. Pois, saibam disso, que a oportunidade é excelsa, excelsa!

Nós estamos em contato constante – a nossa equipe – com todos aqueles que participaram do fenômeno de Scole na Inglaterra, e oportunamente estamos fazendo uma ponte. Porque não são só vocês que fazem a ponte do arco-íris com sapo gordo*, não! Nós também estamos fazendo uma ponte transatlântica com o mundo saxônico espiritual para um intercâmbio lúcido, sobretudo com uma senhora digníssima que nós mesmos tivemos a honra de conhecer, a Sra. Bradshaw. Ela mesma, em pessoa, visita constantemente o plano espiritual e as colônias que estão alocadas sobre a cidade de Jundiaí e sobre a Serra do Japi no intuito de dar coordenação às novas equipes, pois há um misto de energias e de tecnologias, uma vez que somos autorizados a utilizar coisas também do nosso arsenal porque não somos também uma equipe tupiniquim aqui no Brasil, também temos alguma coisa a aportar nesta reunião.

Assim, meus queridos, vejam só que coisa! Já vi sujeito correndo de onça pintada, mas de sapo é a primeira vez*! Que bom é celebrar e festejar! Poder rir de nós mesmos é liberação! Portanto, minha gente, não há nada e nem coisa alguma que seja inadequada, você está me entendendo? (para Mônica). Se alguém quiser vir de biquíni de oncinha, nós vamos todos acolher. Se acolhemos o sapo, por que não?(risos). Estamos todos juntos nessa, não haja entre nós constrangimento algum, minha gente, e sigamos em frente.

Agora, é importante nesse momento, aproveitando o clima… Eu convido vocês a começarem a praticar essa arte da cura psíquica mental. Isso será uma das grandes maravilhas que veremos juntos, não duvidem disso. Focalizem neste momento entes queridos, pessoas – E digo isso furando um pouquinho o protocolo, viu, Dra., porque o riso já nos curou muito nesta noite.- Focalizem aqueles que vocês sabem que estão em necessidades, focalizem os pequenos, os mais velhos… Gente, a pandemia não está fácil, sobretudo no seu impacto mental e as consequências disso… Então, focalizem nomes e visualizem um grande recipiente com uma água luminosa – um cilindro projetado dessa mesa até o infinito, cheio dessa água luminosa. Um cilindro que, com o poder do pensamento e da intenção de vocês, nós conseguimos direcionar para lavar todos os corpos dessas pessoas cujos nomes vocês estão visualizando.

Elas são banhadas nessa luz que restaura, de acordo e a partir da nossa intenção, a harmonia do corpo, da mente e do espírito. Focalizem mais um tempo e fiquem com o meu abraço.

Nós estamos aqui, juntos! Não há motivos para temer, apenas perseverar.


Larissa finaliza com a oração de agradecimento.

Artigos relacionados

Respostas