fbpx

Nos caminhos da parapsicologia, com Gen. Uchôa

Dois livros escritos pelo General Alfredo Moacyr Uchôa – Além da parapsicologia – 5.ª e 6.ª dimensões da realidade e A parapsicologia e os discos voadores – O caso Alexânia  – são exemplos de seu profundo conhecimento  e estudo na área da parapsicologia. Se hoje o tema ainda é pouco difundido, em sua época o General era convidado para abordar o assunto em aulas, conferências e entrevistas para a imprensa.

A Historiadora Juliana Rissardi explica que o Acervo conta com vasto material sobre parapsicologia, alguns que próprio General produziu e acumulou para estudos, outros de coleção pessoal. São manuscritos, recortes de jornais, cartazes, programações de congressos, convites de eventos, psicografias, certificados e teses. 

Nesta carta do acervo, a Casa da Cultura Francesa – Aliança Francesa,  de Santo André (SP),  convida o General para palestra sobre parapsicologia, psicobiologia e ufologia, em março de 1979.


Em outro documento do Acervo, nas onze páginas escritas à mão, o próprio General fala sobre parapsicologia; materialização, desmaterialização, mesas e médiuns flutuantes e fenômenos “poltergeist”. 

Para entender a Parapsicologia

A parapsicologia, anteriormente denominada metapsíquica, estuda cientificamente fenômenos paranormais e psíquicos, como explica o General em um de seus livros:

“Assim é que, toda sua fenomenologia – clarividência, telepatia, precognição, psicocinesia e até transportes de objetos, fenômenos luminosos, materializações, etc… tudo explicar-se-ia por virtudes ou capacidades inerentes, apenas , ao ser humano, cujos arcanos mais profundos ainda não teriam sido, de todo, penetrados”.  (UCHOA, 2013, p. 33), 

Os estudos metapsíquicos iniciaram-se com Charles Richet (1850-1835), e na década de 30 do século XX, Joseph Rhine (1895-1980) continuou as pesquisas já se utilizando do termo parapsicologia, criado por Max Dessoir. Rhine realizou inúmeras experiências no campo da percepção extrassensorial na Universidade de Duke. 

O General Uchôa foi grande pesquisador das teorias destes estudiosos, e chega a mencioná-los muitas vezes em suas anotações manuscritas, assim como muitos outros autores e pesquisadores importantes nesta área, como Ernesto Bozzano (1862-1943), Oliver Lodge (1851-1840), Cesare Lombroso (1835-1909). Não nos esquecendo que ele iniciou seus estudos dentro da paranormalidade ainda em sua juventude, através de grandes nomes, além dos já citados, que lhe pudessem trazer maior entendimento no campo paranormal como Léon Denis, Camille Flammarion, Allan Kardec, Williams Crookes, Charles Leadbeater, Annie Besant, Helena Blavatsky, entre outros. 

Como relata seu filho, o General Paulo Uchôa, no livro Além da Parapsicologia, o General Moacyr Uchôa demorou para aceitar os fenômenos parapsicológicos, como no caso da telepatia, que aconteciam com ele, até que não teve mais argumentos para que se negasse devido a contínuas provas inquestionáveis, passando a aceitar essa forma de comunicação que parece estar destinada à humanidade do futuro. As pesquisas parapsicológicas, experiências com as sessões de materialização, possibilitaram a amplitude de compreensão dos fenômenos ufológicos, através de fenômenos semelhantes. 

“Se o homem acabar visto como simples pigmeu ainda, face a um universo infinitamente rico em linhas outras de ascensão para o espírito, seria talvez doloroso para o orgulho e para a glória de ser um homem. Cairia, com a transformação daquele quadro evolutivo limitado, um mundo de supostos conhecimentos, ante uma reformulação total de conceitos, que a própria fenomenologia parapsicológica já impõe e os discos voadores, com a mensagem de seres de maior estatura espiritual, técnica e científica oferecem”. (UCHOA, 2013, p. 186)

Um estudioso e divulgador da parapsicologia 

Por ocasião do V Encontro Brasileiro sobre Objetos Voadores não Identificados, uma grande matéria em jornal impresso de [São Paulo]*, datado de 6 de outubro de 1972, divulga o lançamento do livro A parapsicologia e os discos voadores – O caso Alexânia, de autoria do General, no evento que foi realizado de 20 a 22 de outubro de 1972.

Um homem muito ligado à educação, General Uchôa lecionou cálculo vetorial e mecânica racional da antiga Escola Militar do Realengo (RJ) e foi professor catedrático de mecânica racional na Academia Militar das Agulhas Negras, em Resende (RJ). Quando morava em Brasília (DF), ainda na década de 1970, também fundou a União Pioneira de Integração Social (UPIS), uma universidade que funciona regularmente até hoje na Capital Federal. 

Em outro recorte de jornal guardado pelo General em seus documentos pessoais, está uma matéria da Tribuna da Imprensa, do Rio de Janeiro (RJ), que em sua edição de 29 e 30/08/1970, fala sobre um projeto de lei que estaria no Congresso Nacional para a implantação de cadeira de parapsicologia nas faculdades de medicina no país. 


Para ver os documentos do acervo na integra acesse o
Projeto Acervo do General Uchôa, um compromisso assumido pelo Círculo com a família Uchôa, que confiou aos cuidados da escola os documentos pessoais do General. O acervo ainda conta com entrevistas para imprensa, recortes de jornal, psicografias, áudios, desenhos etc…num trabalho vivo que está sendo desenvolvido e disponibilizado pelo Círculo. 

A cada semana estamos contando um pouco de tudo que vamos descobrindo juntos no Acervo. 

Leia também:

Artigos relacionados

Respostas