fbpx

O que é psicologia de pontos fortes?

pontos fortes

O caminho para ser extraordinário em algo não está em apenas corrigir falhas, mas em desenvolver o que você é naturalmente bom.

Desde que me certifiquei como Strengths Coach pelo instituto Gallup (EUA) e venho aplicando a metodologia do teste CliftonStrengths34 em processos de coaching estou encantado em como a psicologia positiva e uma abordagem direcionada aos nossos talentos naturais e pontos fortes pode trazer mais qualidade de vida, engajamento no trabalho e colaborar para realizar nosso potencial de boa e no fluxo.

Colaborar nos faz seres humanos melhores, trabalhar lado a lado, ombro a ombro, em comum unidade. Quando reconheço em você a mesma unidade que reconheço em mim, formamos um único corpo e juntos somos mais fortes.

A psicologia de pontos fortes nasceu com Dr. Donald Clifton, em 1998, quando ele criou um teste chamado Stevens Finder e os 34 temas de talento. Mais tarde, o teste passou a se chamar CliftonStrengths34, em homenagem a ele. É uma ferramenta baseada em 40 anos de pesquisa do Dr. Clifton e já ajudou milhões de pessoas a descobrir e desenvolver os seus talentos.

É algo tão sério que o processo de validação foi aplicado em dois milhões de pessoas antes de chegar ao mercado como é hoje. Dr. Clifton tinha uma frase icônica, ele dizia:

“O que aconteceria se ao invés de ficarmos tentando consertar o que há de errado com as pessoas, olhássemos mais para aquilo que elas têm de bom?”.

Porque, se observarmos, desde nosso modelo educacional até programas de capacitação e desenvolvimento, estamos tentando corrigir em nós aquilo que não somos naturalmente bons. Estamos sempre procurando parafusos para apertar. Então, com essa provocação, Dr. Clifton nos levou a pensar: Será que corrigir os pontos fracos, fazer um esforço sobre humano para chegar à média, é realmente um caminho seguro para a realização?

psicologia de pontos fortes

Um estudo sobre leitura rápida

A Universidade de Nebraska (EUA) realizou um estudo durante três anos com mil alunos para detectar quais eram as formas ou as técnicas mais eficazes para ensinar a leitura rápida. Quando iniciaram o trabalho os pesquisadores logo descobriram que, naturalmente, os alunos já se dividiam em dois grupos: um que lia aproximadamente 90 palavras por minuto e outro que lia cerca de 350 palavras por minuto.

Eles fizeram então o mesmo treinamento com esses dois grupos, ensinando técnicas para aumentar a velocidade da leitura. O resultado foi que o grupo que inicialmente lia uma média de 90 palavras por minuto passou a ler 150 palavras por minuto, uma melhora considerável. Porém, o que chamou realmente atenção foi que o grupo que naturalmente já lia 350 palavras por minuto, passou a ler 2.900 palavras por minuto.

O que os pesquisadores descobriram?

Que na maior parte do tempo nós estamos investindo nosso tempo para tentar desenvolver ou ser aquilo que não somos!

Buscamos um modelo para imitar, uma média para atingir, um esforço enorme para desenvolver algo que não é natural, mas que de alguma forma, com muito empenho, conseguimos chegar à média. O problema é que quando a gente chega nessa média, a gente fica lá a vida inteira.

Portanto, o caminho para você ser extraordinário em algo não está em apenas corrigir ou fortalecer suas falhas, mas em desenvolver aquilo que você já é naturalmente bom. E assim terá pontos fortes exclusivos e extraordinários. Essa é a base da pesquisa do Dr. Donald Clifton.

E, por isso, ele desenvolveu esse teste psicológico para avaliar e definir quais são os talentos naturais de cada pessoa. Porque somos únicos e temos um arranjo de talentos naturais exclusivos que são, em verdade, o caminho mais seguro e direto para um excelente desempenho.

O bonito quando a gente olha para uma pesquisa como essa é que ela mostra que cada um de nós é único. O meu jeito não é o seu jeito, o meu caminho não é o seu caminho, mas todos nós temos um jeito próprio, um talento e um caminho particular, para nos levar a realização.

Sempre avanti! Che questo è lá cosa piú importante!

Juliano Pozati


Se você gosta desse assunto acompanhe também meu perfil no Linked In, onde abordo mais temas relacionados à psicologia de pontos fortes.

Artigos relacionados

Respostas