fbpx

Sexualidade também é papo de espiritualista

Uma reflexão sobre a expressão da sexualidade
para o mês do orgulho LGBTQIA+

Junho é o mês de mobilização da comunidade LGBTQIA+ e, dia 28/06, o Dia Internacional do Orgulho LGBT, criado em referência à Rebelião de Stonewall, ocorrida em Nova York (EUA), em 1969, quando homossexuais, transexuais e drag queens protestaram contra uma ação violenta de policiais que queriam fechar um bar que reunia a comunidade.

Para quem tem uma visão espiritualista da vida, esse tema vai além do necessário debate sobre direitos sociais e liberdades individuais em relação à expressão da sexualidade no Planeta Terra. Em plena transição planetária, pela qual passamos, alguns temas vêm à tona para contribuir com o descortinar da realidade multidimensional.

Do ponto de vista de espíritos em evolução em direção ao Uno, ao Todo, temos referências que deixam claro a pouca importância dessa diferenciação no mundo espiritual. Pouca importância no sentido de que espírito não tem sexo, mas contém em si ambas as energias do masculino e do feminino, e se expressa de uma forma ou outra para seu aprendizado evolutivo, esteja ele encarnado ou não.  

Têm sexos os espíritos? 

Essa foi a pergunta feita por Allan Kardec, codificador da Doutrina Espírita, e a resposta publicada no capítulo Da pluralidade das existências, em O Livro dos Espíritos, em 1857, na França. Leia as questões 200 e 201 referentes ao tema:

Têm sexos os espíritos?
“Não como o entendeis, pois que os sexos dependem da organização. Há entre eles amor e simpatia, mas baseados na concordância dos sentimentos.”

Em nova existência, pode o Espírito que animou o corpo de um homem animar o de uma mulher e vice-versa?
“Decerto; são os mesmos os Espíritos que animam os homens e as mulheres.

Hermetismo para entender a dualidade

A dualidade é uma de nossas formas de ampliação da consciência em um planeta de provas e expiações. A Lei da Polaridade, do filósofo egípcio Hermes Trismegisto, ajuda a entender essa questão. Pelo Hermetismo, tudo é dual. No princípio da polaridade entendemos que os polos nada mais são do que dois extremos do mesmo elemento, em graus diferentes de uma mesma escala.

“Tudo é duplo, tudo tem dois pólos, tudo tem o seu oposto. O igual e o desigual são a mesma coisa. Os extremos se tocam. Todas as verdades são meias-verdades. Todos os paradoxos podem ser reconciliados”.
O Caibalion

Sexualidade em rede nacional

No Brasil, o médium Chico Xavier (e seu mentor Emmanuel) abordou o tema ao vivo no Programa Pinga Fogo, em horário nobre da TV Tupi, em 1971. Quando perguntado pelos repórteres sobre a visão da espiritualidade sobre a homossexualidade e bissexualidade, respondeu:

“…são condições da alma humana e não devem ser interpretados como fenômenos espantosos e atacáveis pelo ridículo da humanidade,  tanto quanto acontece com a maioria irrestrita de uma sexualidade dita normal… Acreditamos que o comportamento sexual da humanidade sofrerá, de futuro, revisões muito grandes, porque nós vamos catalogar, do ponto de vista de ciência, todos aqueles que podem cooperar na procriação e todos aqueles que estão na condição de esterilidade. A criatura humana não é só chamada à fecundidade física, mas também à fecundidade espiritual…”

E em outros planetas?

A extraterrestre Shell Y Ann, das Plêiades, canalizada pela médium Mônica de Medeiros, já relatou em diversas comunicações que, em seu planeta, Iparian (em processo de regeneração e que ainda possui a reencarnação), há união entre duas pessoas independe do gênero em que o espírito está encarnado. 

“Entendemos por par, espíritos que se amam e querem compartilhar a evolução, independente de gênero”, explica. 

Ela conta ainda que em Iparian já não há mais o contato físico sexual entre as pessoas, mas energético apenas e, portanto, inclusive a concepção pode ser feita independentemente da expressão feminina ou masculina do indivíduo. 

A sexualidade na Terra

A questão da sexualidade tem registros de controvérsias em quase todos os capítulos da história da humanidade terrestre. A questão costuma ser interpretada do ponto de vista cultural, religioso ou de poder. A partir da idade média, em especial, a igreja impôs diversos dogmas e obstáculos para a sexualidade humana. Casais heterossexuais só deviam fazer sexo para fins de procriação, do contrário, estariam cometendo um pecado aos olhos de Deus e da Igreja. E a relação entre pessoas do mesmo sexo era totalmente condenada e punida.  

Mas nem sempre foi assim. Em muitos povos antigos a homossexualidade era encarada com naturalidade. Na mitologia Hindu, por exemplo, deidades mudam de gênero, manifestando-se em sexos diferentes em momentos diferentes, ou mesmo como seres andróginos ou hermafroditas. 

Na cidade de Esparta, Grécia antiga, o amor entre dois homens era estimulado pelas forças militares, pois entendiam que um soldado homossexual lutaria com muito mais bravura, pois estaria ao lado do ser amado.  Na civilização Maia, no México, também há registros de que a homossexualidade era uma prática comum, conforme descrito no ensaio “A sexualidade entre os antigos maias”, dos antropólogos Stephen Houston e Karl Taube. Além disso, ela está presente em quase todas as culturas pré-colombianas.

Até mesmo em relação às espécies animais, a ciência já encontrou o comportamento homossexual em mais de 1500 espécies, incluindo mamíferos, aves, répteis, peixes, anfíbios, insetos, vermes nematoides e moluscos.

Podemos ver que nesse planeta-escola ainda temos muito a aprender para nos sentirmos parte de um grande ser universal. Nossas causas ainda não atingem o ser essencial, a evolução moral e a fraternidade universal como meta maior. Por isso, sexualidade também pode ser pauta da espiritualidade para reconhecermos com naturalidade todas as formas de amor. Aqui, no Círculo, somos livres pensadores espiritualizados e, como tal, buscamos unidade. 

“…Crede-Me que Eu estou no Pai, e que o Pai está em Mim…(João 14:6-11).

Artigos relacionados

Respostas

  1. As ponderações apresentadas nesse artigo são coerentes e coerentes, e me fizeram voltar e reavaliar meus conceitos. Sinto que não são impostas ideias ou formas de pensar, mas apontadas as diferentes formas de ver o mundo e as combinações que podem coexistir em harmonia… Diante de tudo que li, me sinto confortável em pensar sobre o assunto colocando no crivo das minhas limitadas conceituações, sem a obrigação de mudar ou de permanecer na mesma mono ideia… Sem obrigação de pensar A ou de pensar B.
    “Temos” (agora incluo a mim e toda a humanidade terrestre) que rever nossos conceitos, e buscar ao máximo a reconciliação dos paradoxos, entender a dualidade e a natureza UNO acontecendo ao mesmo tempo em tudo, precisamos aprender a nos relacionarmos sem nos destruirmos.

    Estou nessa busca… acredito que todos aqui também estejam…

    Namastrêta pra todos…

  2. “Triste época! É mais fácil desintegrar um átomo do que um preconceito.” (Albert Einstein).
    Quando vemos a Shell falando sobre a sexualidade em seu planeta podemos concluir que quanto mais evoluídos são os seres, mais eles valorizam as energias, o dentro e não o fora. Ela fala que os seres em seu planeta são todos andrógenos, com as energias levemente mais para o yin ou yang e que os seres se unem pelas energias. Eles estão bem além das caixinhas cisheteronormativas impostas pela sociedade atual. Até bem pouco temo a homossexualidade deixou de ter um CID, mas ainda falta muito para que a sociedade entenda que o ser humano é complexo demais para ser definido como sendo uma coisa ou outra. As pessoas transgênero ainda sofrem demais apenas por serem quem são. Se hoje há um entendimento maior a respeito da orientação sexual, estamos longe de entender a identidade de gênero. As pessoas vinculam o sexo ao gênero, mas esse é outro ponto que não entendem. Preferiria não encaixar as coisas, mas para ficar mais claro de se compreender pode-se ter essas definições, que ajudam a entender um pouco a complexidade do ser humano e essas definições podem se combinar das mais diversas formas:
    IDENTIDADE DE GÊNERO – É como a pessoa se define, independente do sexo que lhe foi atribuído ao nascer. Há pessoas que são cisgêneras ou transgêneras ou ser de gênero fluido. Pessoas cis se identificam com o gênero que lhe foi atribuído de acordo com o sexo, por exemplo, nasceu do sexo masculino e foi definido como menino e quando cresceu se entende como homem. Pessoas trans se entendem como do gênero oposto ao que lhes foi atribuído em virtude do sexo, por exemplo, nasceu do sexo masculino mas se entende como sendo do gênero feminino; As pessoas de gênero fluido transitam entre o masculino e o feminino independente do sexo.
    ORIENTAÇÃO SEXUAL – É por que a pessoas sente atração. Pode ser homossexual, heterossexual, bissexual, pansexual ou até assexual e a pessoa pode passar por essas diversas nuances durante a vida, não necessariamente se encaixar em alguma

    SEXO BIOLÓGICO – é Macho/fêmea, masculino/feminino e ainda intersexual, como se chama agora as pessoas que antes eram denominadas de hermafroditas.
    EXPRESSÃO DE GÊNERO – As pessoas se expressam com uma aparência mais feminina ou mias masculina ou mesmo andrógena.
    Essas 4 definições podem se combinar entre si das mais diversas formas. Com isso, uma pessoa pode nascer do sexo masculino, se entender como sendo do gênero feminino, sentir atração pelo gênero feminino e se expressar de uma forma andrógena, por exemplo. Uma mulher transgênero (nasceu do sexo masculino mas se identifica com sendo do gênero feminino) não necessariamente sente atração por homens, pois identidade de gênero é diferente de orientação sexual.
    Trazer clareza a esse assunto é cada dia mais importante, pois a quebra de mais esses paradigmas coloca a humanidade mais perto de um planeta em regeneração.
    Parabéns, como sempre, ao Círculo que está sempre adiante!

  3. Gostei muito do texto, e só concorda com tudo o que sempre pensei, tenho vários filhos de. Coração ,( mãe da opção), sendo que depois de ouvir ,sempre disse para eles, se tu quiser dar satisfação para alguém , apenas tua mãe merece isso , mas se tu quiser e puder falar com ela. E vai ser feliz.
    Estive em uma festa de formatura, e a mãe de uma amiga ,chegou e perguntou **Tu é a outra mãe da minha filha**.
    Outra mãe ligou de outra cidade me perguntando** como está o nosso filho** ❤️❤️❤️❤️.
    Avisa é bela ,e se resume em amar.