fbpx

Yoga e meditação para dores crônicas

A dor crônica afeta cerca de 100 milhões de pessoas nos Estados Unidos

Um estudo publicado em 2020 pela Associação Americana de Osteopatias mostrou que um programa de apenas oito semanas com base em técnicas de Yoga e Meditação resultou na melhoria significativa na percepção da dor, humor e capacidade funcional de pacientes com dores crônicas e depressão. Os participantes receberam instrução intensiva em meditação mindfulness e Hatha Yoga. Ao final, 89% deles relatou que o programa ajudou a encontrar formas de lidar melhor com a dor.

A dor crônica é uma condição médica comum e grave que afeta cerca de 100 milhões de pessoas nos Estados Unidos, gerando custos anuais de aproximadamente US$ 635 bilhões. O estudo em pequena escala foi realizado em uma população semi-rural no Oregon, onde questões de acessibilidade, dependência e acesso aos cuidados são comuns.

“Muitas pessoas perderam a esperança porque, na maioria dos casos, a dor crônica nunca se resolverá completamente”, diz Cynthia Marske, médica osteopata e diretora de educação médica de pós-graduação nas Clínicas de Saúde Comunitária do Condado de Benton e Linn. “Entretanto, o Yoga e a meditação conscientes podem ajudar a melhorar a estrutura e a função do corpo, que apoia o processo de sanar a doença”.

“Curar significa eliminar a doença, enquanto que sanar refere-se a pessoa tornar-se mais consciente”, diz o Dr. Marske. “Em relação a dor crônica, esse processo de cura envolve aprender a viver com um nível de dor que é controlável”.

Melhorias nas percepções dos pacientes sobre a dor, depressão e incapacidade

Após o período do programa, o Questionário de Saúde do Paciente (PHQ-9), ferramenta de medida padrão, desceu 3,7 pontos numa escala de 27 pontos. De acordo com o Dr. Marske, alguns pacientes sofrem uma queda semelhante quando utilizam remédios antidepressivos.

“A dor crónica acompanha frequentemente a depressão”, diz o Dr. Marske. “A meditação e o yoga baseados na consciência podem ajudar a restaurar tanto a saúde mental como física de um paciente e podem ser eficazes sozinhos ou em combinação com outros tratamentos, tais como terapia e medicação”. O resultado final é que os pacientes procuram novas formas de lidar com a dor crônica e que estão mais disponíveis para tratamentos não-farmacêuticos eficazes.

Fonte: https://www.sciencedaily.com/releases/2020/10/201001133227.htm

Artigos relacionados

Respostas